quinta-feira, 30 de agosto de 2012

QUANTAS VEZES FALAMOS QUE ESTAMOS COM FOME E RECUSAMOS

Postado por Alan Basilio ministerioamemais.blogspot.com.br

 Constantemente falamos que temos fome de Deus, que estamos famintos por Deus, o problema é que não sabemos o que é fome! O que é sentir fome de verdade.

 A maioria de nós faz de 3 à 4 refeições diárias e no intervalo entre uma e outra costumamos dizer que estamos com fome, que estamos famintos. É essa "fome" que temos levado para o âmbito espiritual e dizemos que temos "fome" de Deus, MENTIRA! O que sentimos não é e nem nunca foi fome, o que sentimos é vontade de "beliscar", algo, de comer algo que temos vontade e que gostamos, e com isso o máximo que temos conseguido é justamente isso "beliscar" Deus, nada muito contundente de verdade, nós somente o beliscamos não o agarramos.

 Fome  de verdade é o que sente uma criança que mora em um bairro carente e que só tem uma refeição por dia, isso quando tem. Fome é o que uma criança do sertão nordestino passa, que muitas vezes por não ter comida em casa se alimenta da RAÇÃO do gado que já morreu a muito tempo por não ter pasto. Fome é o que sente as pessoas que moram em países pobres, países castigados pela guerra, países afligidos por anos de uma ditadura tirana e cruel e que DEPENDEM da ajuda de organizações humanitárias para conseguirem sobreviver, essas pessoas sim, sabem o que é ter fome, sentir fome e PASSAR fome! Nós não!!!
 Quantas vezes falamos que estamos com fome e recusamos um prato com arroz e feijão?
 Uma pessoa faminta não escolhe o que comer, o ditado é verdadeiro "quem tá com fome come a té pedra", mas nós escolhemos o que queremos. Outro ditado verdadeiro diz: "nós temos reclamado de barriga cheia".


A alma farta pisa o favo de mel, mas pra alma faminta todo amargo é doce.

Provérbios 27.7

Então amados, é essa a fome de Deus que a maioria de nós sente.


 Falamos que temos fome de Deus, mas só vamos no culto quando queremos e só PRESTAMOS culto quando temos vontade. Falamos que temos fome de Deus, mas a nossa oração não dura 5 minutos, isso quando lembramos de orar. Falamos que estamos famintos, mas é mentira, sabe porque?

 Porque nossas Bíblias nos provam isso!

 Nossas Bíblias estão empoeiradas, cheias de mofo e bolor, e porque?

 Porque simplesmente nunca pegamos elas para ler, para meditar, para saciar a "fome" imensa que dizemos sentir!!!

 O dia em que sentirmos fome, o dia em que soubermos o que é fome de verdade correremos para os pés do senhor, correremos e nos agarraremos aos seus pés e não mais os soltaremos. devoraremos como nunca as nossas Bíblias, oraremos todos os dias por horas a fio, ficaremos como famintos diante da sala do banquete, ansiosos e desesperados por tomarmos logo nossos lugares à mesa. O dia em que sentirmos fome de verdade não iremos mais chegar atrasados para o culto. o dia em que ficarmos famintos de verdade nesse dia, nesse dia o avivamento cairá sobre nós repentinamente.

 Enquanto o conforto, a satisfação, a preguiça forem mais poderosos que a fome que sentimos, então o que sentimos é capricho e não fome de verdade.

 Os famintos fazem loucuras para saciar a sua fome, quem ta faminto não se contenta com as migalhas que caem da mesa, quem ta faminto quer o prato que está em cima da mesa.

 O dia em que sentirmos fome de verdade, com certeza nesse dia o Senhor nos satisfará.
 se isso ainda não tem acontecido é porque o que sentimos ainda não é fome, é simplesmente vontade de comer alguma coisa, é vontade de fazer um lanchinho, mas ainda não é a fome que o senhor espera de nós!

Óh Senhor, dai-nos fome por ti!

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

SOMOS PESSOAS DE ORAÇÃO



Um dos assuntos bíblicos mais importantes e talvez o mais difícil de escrever é a oração.

Oração não explica, oração se vive. Para o cristão, viver é orar, orar é viver, e isto se dá “em todo tempo”. Orar é estar em comunhão com o Pai. Orar é viver um relacionamento significativo com Ele, é viver em constante oração. Pensar em oração é pensar necessariamente num relacionamento entre um Deus amoroso e seus filhos e também entre eles, quando oram ao Pai em favor de seus irmãos.

No texto de Mt.11:28-30, percebemos que a oração é um convite a todos que notam sua miserabilidade, cansaço e que desejam descanso para a alma. É o próprio Jesus que nos convida ao encontro de profunda intimidade com o Pai. Não é uma iniciativa humana, fruto de nosso desejo.

O Novo Testamento também  nos incentiva à oração comunitária, a oração que se faz em comunhão com o Corpo. Quando olhamos Atos 1.14, percebemos uma Igreja unida, homens e mulheres perseverando em oração.

Mas nem todos perseveraram. Em 1Corintios 15.6, Paulo relata que Jesus foi visto por mais de 500 irmãos de uma só vez, mas em Atos 1.15, Pedro se levanta na Assembleia composta por cerca de 120 pessoas. Veja, não são mais 500, agora são apenas 120 perseverando juntos em oração.

Jesus não obrigou a perseverar, não os intimidou, muito menos negociou a promessa do Pai; pelo contrário, deixou o caminho aberto para todos que desejarem esta promessa, para que venham ao seu encontro. Com coração manso e humilde, Jesus espera por seus filhos. Em Joaõ 6:68, Pedro explicou a razão de não deixar de ir ao encontro do Mestre: “Se não formos a Ti, a quem iremos nós? Só tu tens palavra de vida eterna, para onde iremos?

O convite do Senhor é claro: “Vinde a mim, todos. Vinde, a fim de que sejamos um, assim como Eu e o Pai somos um.” Encontrar-se com Ele em resposta ao seu convite é uma experiência transformadora que nos deixa cada dia mais parecidos com seu Filho, Jesus Cristo.

E VOCÊ??????????

FAÇO UM CONVITE  VENHA ORAR CONOSCO NA IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM CIDADE NOVA RUA JOAQUIM PALHARES, 105 EM FRENTE A PRAÇA DO METRÔ DO ESTÁCIO - RJ

SEGUNDAS - 16h
QUARTA-FEIRA - 9h
SÁBADO - 9h
TODOS OS DIAS ORAÇÃO DA MADRUGADA ÀS 4h manhã

terça-feira, 21 de agosto de 2012

URUGUAI APRESENTA PROJETO PARA LEGALIZAÇÃO DA MACONHA



Projeto será avaliado pelo Parlamento do país e tem a aprovação da chamada Frente Ampla

Folha Online 20/06/2012 21:36

O governo do Uruguai apresentou nesta quarta-feira um projeto de lei para a legalização controlada da maconha, em uma medida para tentar diminuir a criminalidade decorrente do narcotráfico. No projeto, o Estado será o responsável pela venda dos cigarros da droga, com cobrança de impostos.
Segundo o jornal uruguaio "El País", o Estado fará redes de distribuição estatais, com registro de consumidores, assim como existe na Holanda. O consumo e o porte, que não eram penalizados no país, serão regulados pelas autoridades.
O governo também será o responsável pela certificação de qualidade da droga e existirá um limite determinado por lei, que deve ser de 40 cigarros por mês. Caso o usuário ultrapasse a quantidade estabelecida, será submetido a tratamento de reabilitação.
A medida faz parte de um grupo de 16 projetos para diminuir o tráfico e o consumo de pasta base de cocaína, uma das principais drogas em países do Cone Sul. A intenção é diminuir os efeitos do narcotráfico sobre a segurança pública, além da arrecadação das quadrilhas.
O projeto será avaliado pelo Parlamento do país e tem a aprovação da chamada Frente Ampla, do presidente José Mujica.
"Temos que experimentar o caminho da legalização para ver o que acontece, porque se alguém quer se drogar é difícil convencer que largue e com repressão não se consegue nada", afirmou o deputado Álvaro Vega.
INÉDITO
Ainda não há previsão sobre o uso da droga por estrangeiros, incluindo os que moram em cidades fronteiriças, como os casos de Santana do Livramento e Atlântico (RS).
Caso seja aprovada, será a primeira medida do tipo em toda a América Latina, região que sofre com as consequências do tráfico de drogas para a segurança pública. Cartéis da droga, como o de Cáli, na Colômbia, e Los Zetas, no México, causaram a morte de milhares de pessoas.
Em virtude do aumento da violência, lideranças da região, como os ex-presidentes do Brasil, Fernando Henrique Cardoso, e do México, Vicente Fox, se manifestaram favoráveis à legalização como forma de corrigir os conflitos armados.

BRASIL  MARCHA DA MACONHA 


Neste final de semana, a “Marcha da Maconha” tomou as ruas do Brasil com o tema ‘Basta de guerra - por outra política de drogas’.
A tal passeata ocorreu em São Paulo, Curitiba, Manaus, Salvador, Aracaju, Recife e Natal, levando milhares de usuários e simpatizantes aos holofotes da mídia.
Não que eles sejam a favor a liberação. Esse termo é errôneo, segundo especialistas. O correto seria debater a regulamentação, a legalização da erva, já que, com isso, o governo teria total controle e deixaria os traficantes à mercê dos viciados mais corajosos – aqueles que, ainda com a maconha legalizada, comprariam nas bocas-de-fumo.

COMENTÁRIO:

Com certeza este tema e forte e divide opiniões, mas o que diz a Biblia.

Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.2 Timóteo 4:5

Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar;1 Timóteo 3:2

Significado da palavra sóbrio – sem nenhum distúrbio físico ou mental para uso de álcool ou drogas.
Sóbrio também significa: moderado;  comedido; contido; ponderado ; controlado

Na Bíblia afirma que nós cristãos temos a mente de Cristo.

Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo. 1Co. 2:16

E que devemos ser cheio do Espirito Santo.

Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão. 
Gálatas 5:1

Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça .Romanos 14:21

Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus. 
2 Coríntios 7:1

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Cidade Nova tem um Centro de Recuperação CERCIN(no cabeçalho tem uma pagina com todas as informações). Graças a Deus muitos tem conseguido se libertar das drogas através do poder do Senhor Jesus e da  Palavra de Deus. Entre em contato, deixe o seu comentário sobre a legalização da maconha no Brasil. 

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

EU SOU ALUNO(A) DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL. E VOCÊ?



 O QUE É A ESCOLA DOMINICAL
 O termo "Escola Dominical" foi primeiramente usado pelo jornalista evangélico Robert Raikes, na Inglaterra, a partir de 1780, quando começou a oferecer instrução rudimentar para crianças pobres em seu único dia livre da semana: domingo, pela manhã e à tarde, pois a maioria mesmo tendo pouca idade já trabalhava durante a semana. A Escola Dominical nasceu para servir como o ensino público gratuito, orientado pelos princípios da educação-cristã, vindo posteriormente o governo britânico e de outros países a oferecer o sistema de educação pública e a se responsabilizar oficialmente por ele. O movimento iniciado por Raikes é considerado o precursor desse sistema.
A Escola Dominical deveria ser o departamento mais importante da igreja, porque evangeliza enquanto ensina, cumprindo assim, as duas principais demandas da Grande Comissão, que nos entregou o Senhor Jesus em Mateus 28.19-20. A Escola Dominical e também um ministério interpessoal, cujo objetivo básico e alcançar, através da Palavra de Deus, as crianças, os adolescentes, os jovens, os adultos, a família, a igreja e toda a comunidade. Por conseguinte, e a Escola Dominical a única agencia de educação popular de que dispõe a igreja, a fim de divulgar, de maneira devocional, sistemática e pedagógica, a Palavra de Deus. 

OS DEVERES DOS PROFESSORES DA ESCOLA DOMINICAL.
Para atuar como professor (a) na Escola  Dominical, é necessário a certeza de salvação em Cristo, demonstrando um viver correto de modo que possa inspirar confiança aos alunos. É necessário também  que se demonstre uma fé sadia e, de preferência, que tenha lido a Bíblia Sagrada pelo menos uma vez. A posição do professor, biblicamente falando é de honra como esta escrito em Gálatas capitulo 1 e versículo 15
 “Quando, porém, ao que me separou antes de eu nascer e me chamou pela sua graça, aprouve.”
E também primeiro a Timóteo capitulo 1 e versículo 12.

“Sou grato para com aquele que me fortaleceu, Cristo Jesus, nosso Senhor, que me considerou fiel, designando-me para o ministério”
É de muita responsabilidade como esta escrito e Ezequiel capitulo 33 e versículos de 8 a 9.
Se eu disser ao perverso: Ó perverso, certamente, morrerás; e tu não falares, para avisar o perverso do seu caminho, morrerá esse perverso na sua iniqüidade, mas o seu sangue eu o demandarei de ti. Mas, se falares ao perverso, para o avisar do seu caminho, para que dele se converta, e ele não se converter do seu caminho, morrerá ele na sua iniqüidade, mas tu livraste a tua alma.
O professor deve ensinar por amor a Deus, gratidão e obediência, pois o ensino e ordem imperativa do Senhor Jesus. como esta escrito em Mateus capitulo 28 versículos 19 à 20 que diz:
Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.
Alguém já disse que “mais que métodos, espaços adequado, equipamento didático e conhecimento do assunto, é o próprio professor. Se é um grande professor, em suas clases surgirão grandes alunos”. (autor desconhecido)
Para ser um professor (a) bem sucedido são necessários:
A) Preparo
1) Espiritual Conforme esta escrito nas seguintes referência Bíblicas 1Pd3.15 e
Ed.7.10 – Ser cheio do Espírito Santo, controlado e guiado por Ele, pensar e falar segundo sua vontade 1Co 2.15 e Gl 6.11.
2) Intelectual – Estar informado sobre os fatos da atualidade e procurar melhorar seus
conhecimentos Pv. 4.5-9; 1Tm 4.13 e 2Tm 4.13.
3) Social – Cuidar da boa apresentação pessoal e ser amável, a fim que as pessoas
desejam sempre a sua presença.
B) Paciência
É um dos atributos do fruto do Espírito, conforme esta escrito nas seguintes referência Bíblicas, Gl 4.22 e 1Ts 5.14. Nosso Deus é um Deus de paciência Rm 15.5 . É necessária muita paciência, principalmente com as crianças e adolescentes, sempre visando os seus estatutos para que não venha causar problemas. E também tem muita paciência com os idosos.
C) Fidelidade
O Professor deve ser discipulado nos seus deveres 1Co 4.2 e ser zeloso quanto ao que
vai transmitir aos seus alunos Sl 101.6.
D) Dedicação
O preparo e a ministração das aulas devem ser feitas da melhor maneira possível
Rm 12.7b. Há maldição para quem assim não procede Jr 48.10.
E) Pontualidade
Uma das grandes virtudes do professor é pontualidade. O professor deve ser  pontual tanto no inicio como no termino de suas atividades a classe e gera  descontentamento e desinteresse nos alunos.
ESTE RECADO É PARA VOCÊ DISCIPULO/ALUNO

ESTAMOS CONVIDANDO VOCÊ QUE ESTA LENDO ESTA MENSAGEM PARA PARTICIPAR IV CONGRESSO DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM CIDADE NOVA RUA JOAQUIM PALHARES, 105 RJ.
CARTAZ


segunda-feira, 13 de agosto de 2012

BRASILEIRA VAI TENTAR FUGIR DA SÍRIA E VOLTAR AO BRASIL


Priscila Ibrahim Bacha deve deixar a Síria com os dois filhos, com passagens pagas pelo governo brasileiro. Ela conta que fica agachada com a família no corredor da casa do cunhado, para se proteger das bombas.

 

Uma brasileira residente na cidade de Aleppo, onde se concentram os combates mais violentos na Síria, falou neste sábado (4) ao Jornal Nacional. Ela está pronta para começar uma jornada perigosa – vai tentar fugir do fogo cruzado entre rebeldes e tropas do governo.
Em Damasco, as forças do governo fizeram um violento ataque para eliminar redutos ocupados pelos rebeldes. Vários bairros de Aleppo, controlados pela oposição, foram bombardeados. O governo mandou helicópteros, blindados e 20 mil homens para tentar recuperar o centro econômico do país.
Insurgentes dizem que invadiram o prédio onde funciona a TV estatal, para impedir novas transmissões. O governo diz que terroristas foram mortos quando tentavam atacar a emissora.
Imagens na internet mostram crianças apavoradas em abrigos improvisados e dezenas de pessoas entrincheiradas na cidade, tentando fugir dos confrontos. Uma delas é Priscila Ibrahim Bacha, que conversou neste sábado (4) com o repórter Ronaldo Ragadali, da RPC TV de Foz do Iguaçu.
A brasileira, de 25 anos, mora com o marido sírio e dois filhos em Aleppo, e conta que mudou de endereço quatro vezes para escapar das bombas. Ela relatou a angústia de quem vive em meio à guerra civil.
"Você escuta a noite toda, é tiroteio, de bombardeio. A gente passa o tempo todo no corredor da casa do meu cunhado, agachados, né? Bombas saindo, aviões em cima da nossa cabeça... Crianças chorando, é horrível”, conta Priscila.
Segundo a família, Priscila e os dois filhos devem deixar Aleppo nos próximos dias, com a passagem paga pelo governo brasileiro. Mas a situação do marido ainda está indefinida porque o casal diz não ter dinheiro para custear a passagem aérea dele.
Priscila e os filhos deverão fazer um caminho perigoso até conseguir chegar até o aeroporto de Aleppo. De lá, os três seguem de avião ate Damasco. Na capital, a família terá que atravessar por terra mais 60 quilometros até a fronteira com o Líbano.
Os pais dela, no Brasil, estão apreensivos. "Meu coração só vai ficar tranquilo quando ela me ligar do Líbano falando ‘mãe, está tudo em ordem, estamos aqui’”, diz Vani Eroud, mãe de Priscila.
“Agora estou mais tranquila. Pelo menos, a gente fica mais um pouco aliviada, né? Espero voltar para o meu país", afirma Priscila.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

O QUE É O RAMADÃ



O Ramadã é o nono mês do calendário islâmico. Pelo fato de o Islamismo usar um calendário lunar, o Ramadã começa e termina em diferentes períodos do ano. O calendário lunar é baseado na observação das fases da Lua, em que o início de cada mês é identificado com a visão de uma nova Lua. Este calendário tem cerca de 11 dias a menos que o calendário solar usado na maior parte do mundo ocidental.

O início do Ramadã em cada ano é baseado na combinação das observações da Lua e em cálculos astronômicos. Nos Estados Unidos, muitos muçulmanos aderem à decisão da Sociedade Islâmica da América do Norte para o começo da festividade. O final do Ramadã é determinado de maneira semelhante.

Todos os anos, mais de um bilhão de muçulmanos do mundo todo consideram a importância do mês de Ramadã(em árabe رَمَضَان) . Esse período do ano é um momento para reflexão, devoção a Deus e autocontrole, demonstrado por meio do jejum.

Muitas religiões encorajam alguns tipos de jejum para propósitos religiosos. Por exemplo, os católicos não comem carne na Quaresma e os judeus jejuam durante o feriado de Yom Kippur. Para os muçulmanos, o jejum é um componente muito importante do Islamismo. Os benefícios do jejum para o Ramadã são numerosos. O mais importante, no entanto, é a idéia de que, por meio do autocontrole do jejum, uma pessoa pode prestar atenção especial em sua natureza espiritual.

O Ramadã é um período importante para os muçulmanos, não somente porque ajuda a desenvolver um relacionamento mais próximo com Deus, mas também por ser um período para pensar nas pessoas menos favorecidas. Outro objetivo do jejum para o Ramadã é experimentar a fome em compaixão por aqueles que não têm comida. Essa é a forma pela qual muitos muçulmanos aprendem a gratidão e a valorização daquilo que possuem.

O significado do Ramadã

Para os muçulmanos, o Ramadã é um mês de bênção que inclui oração, jejum e caridade. O significado do Ramadã retrocede a muitos séculos, a cerca de 610 d.C. Era nesse período, durante o nono mês do calendário lunar, que os muçulmanos acreditavam que Deus, ou Alá, revelara os primeiros versos do Alcorão, o livro sagrado do Islamismo.

De acordo com o Islamismo, um comerciante chamado Maomé estava andando em um deserto perto de Meca. Isso aconteceu onde atualmente localiza-se a Arábia Saudita. Certa noite, uma voz vinda do céu o chamou. Foi a voz do anjo Gabriel que falou que Maomé tinha sido escolhido para receber a palavra de Alá. Nos dias posteriores, Maomé começou a falar os versos que seriam transcritos, compondo o Alcorão.

Em muitas mesquitas, durante o Ramadã, os versos do Alcorão são recitados todas as noites. Os oradores são conhecidos como tarawih. No final do Ramadã, a escritura completa foi recitada. Ramadã é o período no qual os muçulmanos podem se interligar aos ensinamentos do Alcorão.

-Como o Ramadã é celebrado?

Durante o Ramadã, os muçulmanos praticam o sawm, ou jejum. Claro que ninguém é obrigado a jejuar o mês inteiro. A prática do jejum durante o Ramadã significa que os muçulmanos não devem comer ou beber nada, incluindo água, enquanto o sol estiver brilhando. O jejum é um dos cinco pilares ou obrigações do Islamismo. Como na maioria das práticas religiosas no Islamismo, os muçulmanos participam do jejum desde os 12 anos.

Um dos aspectos mais importantes do jejum do Ramadã é chamado niyyah. Niyyah significa "intenção". Os muçulmanos não devem simples ou acidentalmente se abster da comida. Eles devem realizar a condição do niyyah. Para executar essa exigência, um muçulmano deve "propor em seu coração que o jejum significa uma adoração somente a Alá". Dessa forma, se alguma pessoa jejua por razões políticas ou de dieta, essa pessoa não realizaria o niyyah. De acordo com as escrituras, "quem não faz niyyad antes do amanhecer, não deveria ter jejuado". A determinação de jejuar é de igual importância ao jejum em si mesmo.

Em muitos lugares do mundo, os restaurantes muçulmanos fecham durante o dia no período do Ramadã. As famílias acordam cedo, antes do sol nascer, e comem uma refeição chamada sohour. Depois que o sol se põe, o jejum é quebrado com uma refeição chamada iftar. O iftar muitas vezes começa com a ingestão de tâmaras e bebidas doces para dar ao jejum muçulmano um rápido aumento da energia, além de ser deliciosa. Pode ser adicionado qualquer tipo de alimento, mas a sobremesa quase sempre inclui konafa ou qattayef. Konafa é um bolo feito de trigo, açúcar, mel, uvas secas e nozes. O qatayef é um bolo semelhante, mas é menor e dobrado para revestir as nozes e as uvas secas. Entre as duas refeições, o iftar do período da noite e o shour antes do amanhecer, os muçulmanos podem comer livremente.

O jejum é muito importante para os muçulmanos por uma série de razões. Primeiro, quando você não está prestando atenção a suas necessidades físicas como o alimento, poderá ser capaz de estar em maior harmonia com Deus e com seu lado espiritual. Além disso, o jejum serve para lembrar os muçulmanos do sofrimento do pobre. Essa idéia reafirma a importância da caridade durante o Ramadã.O jejum propicia aos muçulmanos uma oportunidade para praticar o autocontrole e a limpeza do corpo e do espírito. Muitas culturas e religiões usam o jejum para esse propósito. Durante o Ramadã, o jejum ajuda os muçulmanos em sua devoção espiritual, bem como no desenvolvimento de um sentimento de irmandade com outros muçulmanos.

Conforme segue a história, o Ramadã é o mês em que Alá entrou em contato com o profeta Maomé e lhe deu os versos do livro sagrado, ou Alcorão. Dessa forma, orar durante o Ramadã é muito importante. Os muçulmanos praticam orações noturnas, seja no período do Ramadã ou não, mas o taraweeh, ou oração noturna do Ramadã, carrega um peso adicional.

De acordo com as escrituras, "aquele que observa a oração noturna no Ramadã como uma expressão de sua fé e para buscar a recompensa de Alá, terá seus pecados apagados". Desse modo, a oração noturna de Ramadã, depois de um dia de jejum, tem o propósito de erradicar os pecados cometidos anteriormente, sendo, então, um elemento importante para os rituais de Ramadã.

Ao final do Ramadã e antes da quebra do jejum, os muçulmanos dizem takbeer. O takbeer é uma frase que indica que não há nada no mundo que seja maior ou melhor do que Alá. O takbeer é sempre falado quando um muçulmano completa uma tarefa importante, como o término do jejum de Ramadã.

Traduzido, o takbeer exclama: "Alá é o Maior, Alá é o Maior. Não há divindade digna de adoração que não seja Alá e ele é o maior. Alá é o Maior e todo o louvor é devido a Ele". Recomenda-se que os homens falem alto o takbeer e as mulheres o façam em pensamento. Takbeer é um sinal de que as festividades de Eid Al-Fitr começaram. É uma frase de contentamento da fé e da consumação.

-Eid al-Fitr

O Ramadã é considerado o mês do ano mais alegre, que termina com a maior celebração de todas: a quebra do jejum, Eid al-Fitr. Em todo o mundo, os muçulmanos celebram com luzes e decorações. No Egito, "fanoos" - lanternas feitas de lata e vidro colorido - decoram as ruas e as mesquitas. No passado, as crianças brincavam com as lanternas nas ruas. Hoje, os carros nas ruas tornaram essa prática perigosa, mas a tradição ainda é realizada nos lares e nas reuniões de Eid al-Fitr.

Durante a celebração, as pessoas se vestem com o que têm de mais fino, decoram suas casas com luzes, dão divertimento para as crianças e visitam os amigos e a família. Para muitas pessoas, um senso de generosidade, de gratidão e de boas maneiras é o principal tema do Eid al-Fitr e são muito importantes para o Ramadã. O mês sempre consistirá no auxílio dos muçulmanos na alimentação dos pobres e nas contribuições para suas mesquitas.

Quando os muçulmanos terminam o mês do jejum, partem com muitos benefícios que o Ramadã deixa para trás. De acordo com a tradição muçulmana, o Ramadã:

1) fortalece o vínculo da pessoa com Alá e educa a alma a observar as obrigações de devoção de acordo com os ensinamentos do Alcorão;

2) impõe paciência e determinação;

3) desenvolve o princípio da sinceridade, afastando o ser individual da arrogância e da vaidade;

4) desenvolve o bom caráter, em especial a honestidade e a confiança;

5) encoraja o indivíduo a deixar os maus hábitos e mudar suas circunstâncias para melhor;

6) intensifica a generosidade, a hospitalidade e o dom da caridade;

7) reforça os sentimentos de unidade e irmandade entre os muçulmanos;

8) suscita ordem e cumprimento rigoroso dos valores do período;

9) serve como uma oportunidade para as crianças executarem a obediência e praticarem leis islâmicas de adoração;

10) oferece a chance de equilibrar a atenção da pessoa tanto para as necessicidades físicas como para as espirituais.

Durante o mês do Ramadã, os muçulmanos conquistam mais do que uma purificação do corpo e da mente. Sentem que estão fazendo o trabalho de chegar mais perto de Alá por meio da oração e tornando-se pessoas mais misericordiosas por experimentar a fome e aprender sobre o sofrimento dos pobres. O jejum do Ramadã é a experiência principal na religião islâmica.

Fonte: www.obeabadosertão.com.br

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

PAI DEIXA FILHA DE 06 ANOS TER PERFIL DO FACEBOOK E ELA É ALVO DE PEDÓFILO




Texto: revistacrescer.globo.com

 Apesar de a rede social só permitir que crianças a partir de 13 anos façam parte dela, Michael Marcinanis achou que não haveria problema algum em deixar sua filha ter um perfil no Facebook. Esse pensamento durou até o dia em que soube que um homem de 30 anos estava deixando mensagens perversas para a menina, segundo noticiou o jornal britânico Daily Mail com informações do NBC. 


Em entrevista ao NBC, o homem, que não divulgou o nome da filha, mas a foto dela publicamente, disse que a intenção de permitir a conta da menina na rede social era para que ela pudesse falar com sua avó (já que o telefone é caro) e jogar FarmVille, que ela adora. 

O primeiro sinal de que algo estava errado foi quando o filho de Marcinanis, de 22 anos, viu duas mensagens no Facebook da menina de um homem de 30 anos sugerindo que eles fizessem sexo. Os dados dele foram passados para a polícia, que está investigando o caso. 

O pai da menina admitiu que provavelmente sua filha adicionou pessoas em sua página que ela não conhecia. “Há muitas pessoas doentes por lá”, disse. E continou: “Diga-me o que você quiser, mas, se um pai começa a prestar atenção no que os filhos estão fazendo online, esta história tem um final feliz.” 

Ainda com tudo isso, Marcinanis disse que vai continuar deixando sua filha usar o Facebook, mesmo que não tenha idade certa para isso. “Eu vejo o que minha filha faz online”, diz. No site do NBC, Marcinanis ganhou antipatia do público. Muitos afirmaram que ele é um pai negligente e que deveria ser até preso e que tinha de deletar já a conta da sua filha. 

De acordo com a revista Consumer Reports, há cerca de 5,6 milhões de crianças com 12 anos ou menos com conta no Facebook. E você? O que acha dessa história?


COMENTÁRIO:

A Bíblia nos alerta que é tempo de vigiar. Esta matéria é para você que tem filhos, parar e meditar.  
Vejo muitas crianças nas Redes Sociais, pode passar pela sua mente que pode ser um caso isolado, mas sabemos que o mau esta sempre onde nunca esperamos.
A Biblia diz em  Ecl. 3:1  que tudo tem o seu tempo determinado. Tenha prudência, aguarde o tempo de amadurecimento do seu filho. Cuidado com os convites on lines, joguinhos aparentemente inocentes, mas que viciam, e prendem a atenção.
E triste ver crianças que mal saíram da frauda viciadas em joguinhos e Redes sociais  são crianças que passam horas e horas na tela de um computador. O resultado de tudo isto são consultórios cheios e muita medicação(antidepressivos, controle de ansiedade, depressão, falta de concentração, dificuldades de aprendizado.........)
A onde vamos parar? Que geração e esta???

“O servo prudente dominará sobre o filho que procede indignamente; e entre os irmãos repartirá a herança.” Prov. 17:2

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

CONDIÇÕES MUITO PRECÁRIAS, PERMITIRAM PERPETUAR A IDEIA DE ESCOLA NO AFEGANISTÃO

Rapariga afegã na escola de Latifa

Texto: www.educ.fc.ul.pt/docentes/opombo/hfe/lugares/.../afeganistao.htm

     O  exemplo do Instituto Gulbar, no Norte do Afeganistão, é eloquente. Em 2001, a 40 quilómetros da frente de batalha, todas as manhãs o início das aulas era anunciado com cartuchos de munição vazios que caíam das vigas de um corredor pouco iluminado. Os alunos, enquanto escutavam  o som rouco dos cartuchos de munição, iam entrando no Instituto através daquilo que restou do portão principal, destruído no final de 1998. Os lápis e cadernos eram levados pelos próprios alunos pois praticamente todo o material escolar havia sido destruído. Apesar de os Talibã terem proibido o ensino das meninas com mais de oito anos,  o Instituto Gulbar continuou a oferecer aulas para os meninos, de manhã, e para as meninas, na parte da     tarde.

Uma professora, Latifa, ensinou ilegalmente durante quatro anos vinte alunas que queriam aprender a ler e a escrever. A professora descreve a situação de uma menina de seis anos, sua aluna, que um dia, quando ia da escola para casa, foi abordada por um carro com soldados Talibãs, violentamente revistada e interrogada. A menina manteve-se firme e nada disse sobre a localização da escola. Impotente, Latifa assistiu a tudo, da janela da escola. Não podia correr em auxílio da menina pois se o fizesse a escola deixaria de existir.

Esta escola continua a existir, agora legalmente.  Lalifa  ensina  todas as manhãs, das 8:00 às 11:00, numa sala com um tapete onde as alunas se sentam, uma ardósia na parede e giz.

Actualmente, a situação do Afeganistão parece ter melhorado. As crianças já podem ir para a escola livremente. Mas muita coisa tem ainda que mudar.   Por exemplo, no interior do país, sobretudo nas províncias mais pobres do sul dominadas pelos pashtuns, a guerra parece não ter ainda terminado. Assim, nos arredores da província de Ghazni, são diariamente  necessários 20 homens armados para proteger a escola feminina Johan Malaka Ghazni, bombardeada em Dezembro de 2002.  Mesmo em Cabul, a liberdade de aprender nem sempre é respeitada. Por exemplo, a Escola de Música de Cabul, que reabriu depois de oito anos sem funcionar,  continua a não aceitar mulheres. 

 Digamos que, apesar das dificuldades, existe uma enorme vontade de estudar. Até as populações nómadas realçam a importância da educação das suas crianças. Os Kuchis, grupo nómada originário do norte do Afeganistão (província de Parwan), em vez de partir para o Sul, resolveram no último ano fixar-se na pequena vila Sherak para aí construir uma rudimentar escola para as suas 142 crianças. A escola de Sherak é desde então uma realidade. A UNICEF forneceu ardósias, livros e outros materiais escolares.
AFEGANISTÃO PERSEGUIÇÃO RELIGIOSA
A Constituição afirma que o Islamismo é a religião oficial do país e que os seguidores de outras religiões têm o direito de professar sua fé e praticar seus ritos e cultos abertamente, desde que dentro dos limites impostos pela lei islâmica (Sharia). Como na maior parte dos países islâmicos, os sunitas são maioria também no Afeganistão, onde os xiitas compõem a segunda maior seita islâmica e o restante da população é dividido entre cristãos, hindus, Bahá’ís e outras seitas oriundas do islamismo.
A conversão de um muçulmano a outra religião é considerada apostasia, sendo punível com a morte em algumas interpretações da lei islâmica no país. O código penal não define apostasia como crime e a Constituição proíbe a punição por crime não definido no código penal, que, no entanto,  afirma que os crimes graves, incluindo a apostasia, seriam punidos de acordo com a Hanafi, jurisprudência religiosa, e manipulados por um procurador-geral do escritório. Cidadãos do sexo masculino com idade acima de 18 e do sexo feminino acima de 16 anos, de mente sã, que se converteram a outra religião que não o islã, têm até três dias para se retratar de sua conversão, ou serão sujeitos a morte por apedrejamento, à privação de todos os bens e posses e à anulação de seu casamento. O mesmo acontece quando o individuo é acusado do crime de blasfêmia.
E o 2ª colocado quanto a perseguição religiosa (portasabertas.org.com)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...