quarta-feira, 29 de abril de 2015

MISSIONÁRIO BRASILEIRO NO NEPAL


O designer Filipe Bittencourt, de 26 anos, está na capital do Nepal, Katmandu, cursando a parte prática do seu curso de missões do Centro de Treinamento Ministerial Diante do Trono, de Belo Horizonte (MG). Ele é testemunha dos estragos que o mais forte terremoto em 80 anos causou no país. Ainda sem poder sair do país, Filipe e outros estudantes de missões estão sem dinheiro e sem suprimentos. Leia a seguir o relato escrito.

“Estamos todos bem. A situação está muito difícil. Não temos água nem energia. Graças a Deus, consegui agora acesso à internet. Dormimos na chuva, no chão e passamos frio. Nessa última noite fomos achados pelo pessoal do projeto ‘Meninas dos olhos de Deus’.
Estamos com muitos brasileiros agora e a recomendação é que deixemos o país. São muitos mortos e feridos; ajudamos no hospital e vimos a situação. Os tremores continuam. Já não dormimos direito há duas noites e nosso dinheiro foi usado pra ajudar os feridos.
O governo deve fechar as lojas para dar comida para quem precisa. Então precisamos estocar. Muita gente perdeu tudo, principalmente na região montanhosa. Um pastor e sua família perderam tudo. Há muito mais mortes do que informam os jornais. Orem por nós”.

Fonte:http://www.ultimato.com.br/conteudo/ha-muito-mais-mortes-do-que-informam-os-jornais-diz-missionario-brasileiro-no-nepal

FOTOS DO LOCAL



segunda-feira, 20 de abril de 2015

QUEM SÃO OS TIKUNAS?

Missionária Liane visitando Missão Tikuna

QUEM SÃO OS TIKUNAS?
 A nação Tikuna é a maior nação indígena do Brasil. Ocupa uma extensa área da região amazônica, envolvendo três países: Brasil, colômbia e Peru, com mais de 60% concentrados em território brasileiro.
 A EVANGELIZAÇÃO
 Remota há aproximadamente 60 anos. Inicialmente por missionários americanos, brasileiros e agora pelo próprios Tikunas .
O QUE É A MISSÃO TIKUNA
A missão Tikuna é um ministério de apoio a Evangelização nativa, através da preparação de obreiros autóctones para atender as necessidades espirituais da nação Tikuna.
Começamos trabalhando unicamente com os Tikunas. Hoje temos obreiros de outras tribos. Inicialmente apenas com o curso de Teologia e o preparo missionlógico; depois sentimos a necessidade de prepara-los secularmente, do nível médio a universidade, de acordo com a carência de cada povo indígena e da resposta do treinamento Teológico/Missiológico.
DESAFIOS
1)    Alcançar as aldeias Tikunas e outros povos indígenas próximos, através de obreiros. Nativos.
2)    Preparar secularmente os obreiros, em diferentes áreas, para se desenvolverem na aldeia de sua procedência, quando no retorno.
3)    Apoiar o seminário Tikuna no Amazonas, com recursos humanos e materiais
4)    Levantar recursos para terminar de pagar o terreno adquirido e construir a sede própria da missão.
 QUERO SER SUSTENTADOR DA MISSÃO TIKUNA

FOTOS TIRADAS NO LOCAL AV. LARANJAL, 253 DUQUE DE CAXIAS RJ   - MISSIONÁRIA LIANE CRUZ VISITANDO A MISSÃO TIKUNA – 18 ABRIL 2015 ACOMPANHADA DA CARAVANA DO CENTRO EVANGELISTICO INTERNACIONAL












Pr.Lucas e familia
CEI

segunda-feira, 13 de abril de 2015

"CRACOLÂNDIA" NA ROMÊNIA, SÃO PAULO e RIO DE JANEIRO

Cracolândia na Romênia jovem conhecido como Bruce Lee


Uma "cracolândia" subterrânea se espalha pelos antigos túneis do sistema de aquecimento de Bucareste, capital da Romênia. De acordo com reportagem da rede de TV "Channel 4", centenas de usuários de drogas – muitos com menos de 18 anos de idade – moram no local.
Alguns dos corredores que ligam os diferentes ambientes do subterrâneo só podem ser atravessados rastejando, e o chão é repleto de seringas usadas.
Por 50 centavos de euro (R$ 1,70), os usuários podem comprar ali uma dose de tinta metálica altamente tóxica conhecida como "aurolac", que é inalada dentro de sacos plásticos. Além disso, uma droga injetável derivada da metadona também é oferecida no local.
Uma das lideranças da cracolândia local e maior fornecedor de drogas do subterrâneo é conhecido apenas como Bruce Lee. Abandonado em um orfanato durante o regime comunista quando tinha apenas três dias de vida, ele diz no vídeo: "quando Ceausescu caiu, eu também cai".
"Nós somos a escória da humanidade, não somos? Então eu busco organizar a turma para que sejamos como uma família", afirma, ao repórter. "As autoridades não se importam, ninguém se importa [conosco]".
Segundo levantamento de ONGs locais, ouvidas pela reportagem, a maioria dos habitantes da cracolândia romena é HIV positiva e morava em orfanatos do Estado durante o regime comunista.
Com a queda do líder Nicolae Ceausescu, em 1989, essas pessoas foram despejadas nas ruas – estima-se que ao menos 50 mil jovens estavam sob cuidado do Estado na época.
FONTE: Do UOL, em São Paulo 27/05/201410h45

"CRACOLÂNDIA" SÃO PAULO - BRASIL

A Operação Integrada Centro Legal existe desde 2009, mas, no início do ano passado, quando passou a contar com policiais militares e guardas-civis, parte dos viciados da cracolândia começou a migrar para outras regiões da cidade, numa fuga chamada por eles de “procissão do crack”. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, já foram identificados grupos de viciados em entorpecentes em dez bairros: Sé, Santa Cecília, República e Bela Vista (no Centro); Cambuci e Itaim Bibi (Zona Sul); Pari (Zona Norte); Mooca e Belém (Zona Leste); e Barra Funda (Zona Oeste).


CRACOLÂNDIA RIO DE JANEIRO - BRASIL
Usuários de crack do Jacarezinho e de Manguinhos, na zona norte do Rio, migraram para novas cracolândias depois da ocupação das comunidades.

 JESUS É A SOLUÇÃO!!!!!!!!!!!


PROCURANDO UM CENTRO DE RECUPERAÇÃO?


 
 CERCIN é um centro diferenciado que tem como objetivo o tratamento e a reabilitação do indivíduo afetado pela dependência química.
Consideramos a dependência química uma doença crônica, física, emocional e espiritual, cujo tratamento exige uma modificação de atitudes e características de vida por parte do dependente e sua família, que geralmente também é afetada pela doença.
O Centro de Recuperação  tem como elementos de sucesso o acolhimento, a reinserção social e a humanização no trato dos pacientes, cujas vidas, tornaram-se incontroláveis pelo uso abusivo de álcool e outras drogas.


1)CONHEÇA A COMUNIDADE TERAPÊUTICA CERCIN  RIO DE JANEIRO

Centro de Recuperação oferece um ambiente bonito, agradável e aconchegante. Conheça nosso trabalho!

O CERCIN, Centro de Recuperação em Cidade Nova- RJ, é uma obra que trabalha  recolhendo população de rua e pessoas com dependência de álcool e outras drogas.
O CERCIN (Centro de Recuperação em Cidade Nova) é um órgão da ABEN- Associação Beneficente Daniel Ribeiro
Entre em contato conosco, através da internet FACEBOOK (COMUNIDADE TERAPÊUTICA DE CIDADE NOVA – ABEN) para fazer sua visita ou doação em roupas, alimentos, calçados, roupas de cama, utensílios para casa e material de limpeza doméstica.
 Você também pode fazer sua doação em dinheiro, depositando qualquer quantia na Conta Bancária abaixo:
 Conta Bancária da ABEN - BANCO BRADESCO: Agência: 2013-3 Conta Corrente: 22.436-7

  
VEJA A FOTO DA COMUNIDADE TERAPÊUTICA DE CIDADE NOVA – ABEN – RIO DE JANEIRO TEL. (21) 2273-1390




CEARÁ - BRASIL


2)CONHEÇA A COMUNIDADE TERAPÊUTICA NOVO HORIZONTE QUE FAZ PARTE DA MISSÃO AMIGA (AGÊNCIA MISSIONÁRIA INTERNACIONAL GANHANDO ALMAS),  LOCALIZADA NO CEARÁ RESPONSÁVEL PASTORA MARIA DO SOCORRO. FAÇA CONTATO FACEBOOK > MISSÃO AMIGA.
Pastora Maria do Socorro - Ceará na Comunidade Terapêutica Novo Horizonte



VOCÊ PODE AJUDAR!!!!!!! FAÇA UMA OFERTA AGORA!

SEJA UM PARCEIRO DA MISSÃO A.M.I.G.A – CEARÁ COLABORANDO COM NOSSOS PROJETOS
BANCO BRADESCO C/C
AGÊNCIA 2772
Nº CONTA 95000- 9

segunda-feira, 6 de abril de 2015

QUÊNIA, MASSACRE PODE CHEGAR A 218 MORTOS


O número de mortos no atentado a uma universidade no Quênia na quinta-feira pode ser maior que o total de vítimas do atentado à embaixada americana em Nairóbi, em 1998, quando 213 pessoas morreram. A contagem oficial fala em 147 corpos, mas islamitas somalis shebab, vinculados à Al-Qaeda e responsáveis pela matança, divulgaram nesta sexta-feira comunicado dizendo que assassinaram 218 pessoas, segundo informações do jornal O Globo.
O ataque aconteceu durante a madrugada, quando homens mascarados lançaram granadas e dispararam contra os estudantes no campus localizado a 150 quilômetros da fronteira somali, onde estudam centenas de jovens originários de diferentes regiões.
De acordo com sobreviventes, os homens primeiro mataram de forma indiscriminada. Depois separaram alunos em muçulmanos e não muçulmanos, poupando a vida dos primeiros e fazendo reféns os integrantes do segundo grupo.
A operação conduzida pelas forças de segurança quenianas para recuperar o controle da universidade terminou com quatro terroristas mortos, segundo o Centro Nacional de Gestão de Desastres (NDOC).
Parentes ainda buscam informações sobre estudantes
Familiares de estudantes da universidade de Garissa e alguns sobreviventes tentam até agora obter informação sobre corpos. Eles estão reunidos próximos ao local do ataque, que foi isolado por forças de segurança. No palco da tragédia, cadáveres seguem sendo recolhidos, enquanto o exército rastreia o campus para garantir que não há mais perigo.
— Estou tão preocupado, tenho um filho que estava entre os estudantes presos na universidade e não tenho notícias dele desde ontem — disse Habel Mutinda.
— Tentei identificar seu corpo entre os mortos. Tenho que fazer isso antes que se decomponha com o calor. Passei a noite toda aqui, foi muito difícil, é doloroso — completou o idoso em busca do filho desaparecido.
Estudantes dizem que terroristas se divertiam com mortes
Sobreviventes contaram nesta sexta-feira que os somalis shebab se divertiram com os reféns antes de matá-los. Eles fizeram com que muitos rastejassem em poças de sangue ou telefonassem para seus pais pedindo que exigissem a retirada das tropas quenianas da Somália.
Alguns estudantes se sujaram com o sangue de seus amigos executados para se fingirem de mortos, enquanto os islamitas iam de quarto em quarto buscando novas vítimas.
— "Não tememos a morte, para nós será como férias de Páscoa", gritaram os homens antes de atirar — disse o estudante Salias Omosa, 20 anos, que está traumatizado.
Maureen Manyengo, uma sobrevivente de 21 anos, explicou que se escondeu em um armário.
— Ouvi os criminosos dizerem aos meus amigos: "Não se preocupem, vamos matá-los, mas nós também morreremos". Também ouvi eles falarem "só vão estar em segurança quando o seu presidente retirar os soldados da Somália" — afirmou.
O ministro queniano do Interior, Joseph Kaissery, prometeu que o país não se "intimidará pelos terroristas" e que será capaz de vencer esta guerra.
FONTE: http://zh.clicrbs.com.br/ 03/04/2015 | 15h30
JESUS ESTA VOLTANDO!!!! CREIA!!!!!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...