terça-feira, 24 de setembro de 2013

ARMAS INFANTIS, MATA SEM MATAR?

arminha

Foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal desta segunda-feira (23) a lei que proíbe a fabricação, distribuição e comercialização de armas de brinquedo e réplicas de armas de fogo no DF. A norma, de autoria do Executivo, entra em vigor daqui a seis meses.
A justificativa do governo para a nova lei é criar uma cultura de não violência.
A restrição é válida para armas de brinquedo que disparem bala, bola, espuma, luz, laser e assemelhados, que produzam sons ou que projetem quaisquer substâncias que permitam a sua associação com arma de fogo. A proibição não inclui armas de pressão, em especial as de ar comprimido, airsoft e paintball.

 

Os empresários que descumprirem a lei estão sujeitos a punição que vai de advertência por escrito, passando por multa de R$ 5 mil a R$ 100 mil, até a cassação de licença de funcionamento.

A norma indica ainda que os estabelecimentos que comercializam brinquedos devem afixar mensagens com os seguintes dizeres: “Este estabelecimento não comercializa armas de brinquedo. Lei Distrital nº 5.180, de 20 de setembro de 2013.”

A lei institui também a Semana do Desarmamento Infantil, a ser comemorada em todas as regiões administrativas do Distrito Federal, na segunda semana de abril, com campanhas sobre a prevenção da violência.

Para o especialista em segurança Daniel Lorenz, retirar as armas de brinquedo e réplicas do mercado pode ajudar a diminuir a violência nas ruas.
“A polícia tem registro desses simulados, réplicas e até armas coloridas que, ao serem pintadas de preto, passam como uma arma de verdade num momento de um assalto. Fica muito difícil de uma pessoa leiga descobrir que aquilo ali não é uma arma de verdade”, afirma.

G1. 23/09/2013 08h59 - Atualizado em 23/09/2013 09h51

COMENTÁRIOS

No próximo mês de outubro, costuma-se comemorar o Dia da Criança no Brasil, precisamos repensar sobre o que dar para as nossas crianças, o inimigo(satanás)  tem tirado a inocência das nossas crianças usando brinquedos, com a falsa aparência infantil um desses  brinquedos são as armas infantis.

Pequenas, leves, coloridas, atira água, bolinhas, mata sem matar. Creio que esta Lei não vai resolver o problema, mas pode ajudar. Hoje em dia até um adulto usa arma de brinquedo para cometer assaltos.

No Livro de Provérbio 22:6 diz Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. 

Coloque a Bíblia na mão do seu filho educa, ensina as Palavras do Senhor.

Diga NÃO A VIOLÊNCIA. 

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

PENITENTES DO ROSÁRIO - BRASIL


“Camponeses repetem um ritual secular: a penitência representa uma confissão de culpa pela morte de Cristo”
     Credos, cânticos e louvações. A Semana Santa revivia uma tradição que remonta ao século passado e que se repetia anualmente. Na Sexta-feira da Paixão, homens humildes – negros e caboclos – que viviam de roças e empregos temporários, iam glorificar ao Senhor, a Jesus Salvador e à Virgem Santíssima, no pequeno vilarejo do Rosário, distrito do município de Milagres, Sertão do Cariri, Ceará. Eram os “penitentes”, um grupo de cristãos católicos que, até há duas décadas, adotavam a prática do sufrágio, um ritual que consistia na auto-punição de chicotadas nas costas, com cordões que possuíam lâminas afiadas nas pontas.

     O sufrágio representava a “confissão de culpa” e uma auto-punição pelo sacrifício de Jesus Cristo, com a crucificação e morte, que não foi impedida pelos seguidores. Orando aos pés dos dois cruzeiros e pelas duas únicas ruas do Rosário, os penitentes formavam um coral, que era puxado pelo mais velho integrante e líder do grupo, desde 1942, Cícero Porfírio da Costa, já falecido. O fim do sufrágio foi acompanhado pela liberalização da tradição, que não permitia sequer às mulheres assistirem ao culto ou mesmo observar pelas janelas. Se hoje as mulheres pudessem assistir e acompanhar os penitentes, permaneciam, porém, impedidas de compor o grupo. Olhar e rezar, só de longe.

     “Elas podem criar o seu próprio grupo, e se tiverem alguma promessa a pagar, estão liberadas para acompanhar. A tradição de não permitir a presença de mulheres é porque a gente sai tarde da noite e sempre andamos pela estrada escura”, disse em linguajar simples Cícero Porfírio. Os penitentes mantiam, ainda, critérios rígidos para o homem ingressar no grupo religioso. Condutas como o bom comportamento, não beber ou fumar no dia da penitência e ser uma pessoa de boa vontade são condições básicas. “Só participa se ele for casado, na Igreja Católica, ou solteiro. Ser junto não aceitamos”, revelou o líder.

     Origem – A origem dos “Penitentes do Rosário” data do século passado. Cícero Porfírio recebeu a função de líder do grupo em 1942, repassada pelo líder da época, Joaquim Pedro, já falecido. “Quem pediu para que a gente deixasse de realizar o sufrágio foi o padre Joaquim Alves, de Milagres, também já morto. O problema é que no dia seguinte muitos não tinham nem condições de trabalhar”, argumentou Porfírio.

     Outra tradição preservada pelo grupo eram os trajes da procissão. Roupões azuis com cruzes brancas e capuzes brancos com cruzes azuis, que antigamente não eram retiradas em público, dão o aspecto formal à louvação. Uma cruz com arranjos era conduzida por um penitente, sendo seguida pelo grupo que repete o terço rezado com o pranto “Meu Senhor é Amado” e os cantos Bendito da Quinta-Feira Santa, Bom Jesus do Calvário, Santo Mariano, Santo Antônio, Sonho de Nossa Senhora e outros.
Fonte. Sit. www.oort.com.br


É TEMPO DE EVANGELIZAR !!!!!!!


terça-feira, 10 de setembro de 2013

CERCA DE 10 IGREJAS TIVERAM SUAS PORTAS FECHADAS

Camarões

O ministro das Comunicações, Issa Tchiroma Bakary, afirmou em 28 de agosto durante uma coletiva de imprensa que as igrejas se engajam em práticas "insalubres" e "indecentes", contrárias ao objetivo do crescimento espiritual das pessoas.
Bakary também denunciou "casos óbvios de extorsão de pessoas em situação desesperada", "repetidos tumultos noturnos" e "proselitismo". "Numa situação como essa o governo não podia ficar indiferente e inativo", disse. "As autoridades administrativas responsáveis ​​pela preservação da ordem pública tiveram de assumir a responsabilidade".
Em Yaoundé, a capital, cerca de dez igrejas tiveram suas portas fechadas. Na principal cidade no noroeste do país, Bamenda, que abriga uma alta proporção de cristãos, cerca de 20 igrejas foram afetadas. No total, 35 igrejas foram fechadas por todo o país, de acordo com Bakary.
O pastor Naida Lazare, presidente da Christian Media Network de Camarões, disse à World Watch Monitor que várias igrejas têm buscado a aprovação do governo há mais de dez anos, sem obter resposta. "Muitas igrejas e organizações cristãs têm buscado em vão sua legalização. Elas passaram por todos os procedimentos administrativos e legais, mas não receberam nenhuma notificação indicando a rejeição ou aprovação". "Em vez de culpar as organizações ou indivíduos cristãos, geralmente pessoas acima de qualquer suspeita, o governo se beneficiaria muito mais regulamentando essas associações, que têm esperado por isso há mais de uma década".
Camarões é um país laico da África Central. Quase 80% dos seus 20 milhões de habitantes são cristãos. A liberdade de culto e de religião é garantida pela Constituição, reforçada pela Lei n º 90/053 de 19 de dezembro de 1990, que regulamenta organizações religiosas.
Esta lei determina que o exercício do culto religioso esteja sujeito à aprovação do ministro de Assuntos Internos e à autorização do presidente. Desde a lei de 1990, as organizações pentecostais têm experimentado um crescimento notável. Dezenas de igrejas, geralmente ligadas à vizinha Nigéria, se estabeleceram no país.
Tal crescimento se deve ao fato de seguidores do catolicismo se juntarem aos movimentos pentecostais. Essas igrejas pentecostais são conhecidas por seu dinamismo e capacidade de mobilizar multidões.
É difícil saber o número exato de igrejas no país. Oficialmente, apenas 47 licenças foram concedidas entre 1990 e 2009 a igrejas e organizações cristãs, ao passo que cerca de 500 denominações estão funcionando em todo o país. "Isto significa que a esmagadora maioria dessas igrejas que estão enchendo nossas cidades e vilas existem ilegalmente, beneficiando-se da tolerância de nosso sistema administrativo", disse Bakary.
Dieudonné Abogo, presidente da União Pentecostal dos Camarões, reconhece que algumas igrejas são barulhentas. "O uso de música alta durante os cultos pode, de fato, perturbar os bairros em algumas áreas", disse Abogo. "Isso traz um grande prejuízo à reputação das igrejas reconhecidas oficialmente".
A decisão de fechar as igrejas não reconhecidas não é novidade em Camarões. Algumas igrejas pentecostais no país foram fechadas nos últimos anos pelas autoridades locais devido a queixas de moradores. Abogo disse que órgãos como a União Pentecostal de Camarões devem trabalhar com o governo para encontrar uma solução.

Foto: Elin B / Flickr / Creative Commons

FonteWorld Watch Monitor
TraduçãoDaniela Cunha
PORTAS ABERTAS

APROVEITA A PORTA ESTA ABERTA, NO BRASIL TEMOS   TODA A LIBERDADE, MAS ATÉ QUANDO? 

 Porque assim diz o Senhor à casa de Israel: Buscai-me, e vivei.Amós 5:4

Agora, pois, perante os olhos de todo o Israel, a congregação do Senhor, e perante os ouvidos de nosso Deus, guardai e buscai todos os mandamentos do Senhor vosso Deus, para que possuais esta boa terra, e a façais herdar a vossos filhos depois de vós, para sempre.1 Crônicas 28:8

Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Isaías 55:6
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...