terça-feira, 29 de novembro de 2011

DESANIMADO? SEM FORÇAS PARA ORAR?




 TEM ORADO MUITO POUCO?

VEJA 10 MOTIVOS PARA VOCE COMEÇAR A ORAR
Texto escrito pela Miss. Liane Cruz

01)COMUNHÃO COM DEUS
Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei. Salmos.91:12
Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra. Salmos.119:114
Confiai nele, ó povo, em todos os tempos; derramai perante ele o vosso coração. Deus é o nosso refúgio. (Selá.)Salmos. 62:8
A ti, ó SENHOR, clamei; eu disse: Tu és o meu refúgio, e a minha porção na terra dos viventes. Salmos.142:5
Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.Salmos.91:1
No temor do SENHOR há firme confiança e ele será um refúgio para seus filho.Prov.14:26

02)SOCORRO NA ANGÚSTIA
[cântico dos degraus] Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro.Salmos.121:1
O meu socorro vem do SENHOR que fez o céu e a terra.Salmos.121:2
Dá-nos auxílio na angústia, porque vão é o socorro do homem Salmos.60:11
Dá-nos auxílio para sair da angústia, porque vão é o socorro da parte do homem Salmos.108:12
A nossa alma espera no SENHOR; ele é o nosso auxílio e o nosso escudo.Salmos.33:20

03)ABRIR PORTAS
Abri-me as portas da justiça; entrarei por elas, e louvarei ao SENHOR. Salmos 118:19
Eu irei adiante de ti, e endireitarei os caminhos tortuosos; quebrarei as portas de bronze, e despedaçarei os ferrolhos de ferro.Isaias 45:2
Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas.Apo.22:14
Abri-me as portas da justiça; entrarei por elas e louvarei ao SENHOR
Esta é a porta do SENHOR, pela qual os justos entrarão.Salmos.118:19,20

04)AMOR AO PROXIMO
Um ao outro ajudou, e ao seu irmão disse: Esforça-te. Isaias 41:6
Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores Isaias. 53:12
Por isso disse que os destruiria, não houvesse Moisés, seu escolhido, ficado perante ele na brecha, para desviar a sua indignação, a fim de não os destruir Salmos.106:23
O que despreza ao seu próximo peca, mas o que se compadece dos humildes é bem-aventurado. Prov.14:21
E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e ás boas obras.Heb.10:24

05)PERDÃO
Mas contigo está o perdão, para que sejas temido. Salmos.130:4
A este dão testemunho todos os profetas, de que todos os que nele crêem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome. Atos.10:43
Ao Senhor, nosso Deus, pertencem a misericórdia, e o perdão; pois nos rebelamos contra ele,Daniel.9:9
Qualquer, porém, que blasfemar contra o Espírito Santo, nunca obterá perdão, mas será réu do eterno juízo Mc.3:29
Para lhes abrires os olhos, e das trevas os converteres à luz, e do poder de Satanás a Deus; a fim de que recebam a remissão de pecados, e herança entre os que são santificados pela fé em mim. Atos.26:18
Ouve, pois, a súplica do teu servo, e do teu povo Israel, quando orarem neste lugar; também ouve tu no lugar da tua habitação nos céus; ouve também, e perdoa. 1Reis.8:30

06)PROSPERIDADE
Porque Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Se me abençoares muitíssimo, e meus termos ampliares, e a tua mão for comigo, e fizeres que do mal não seja afligido! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido. 
1 Crônicas 4:10
Salva-nos, agora, te pedimos, ó SENHOR; ó SENHOR, te pedimos, prospera-no.Salmos.118:25
Falei contigo na tua prosperidade, mas tu disseste: Não ouvirei. Este tem sido o teu caminho, desde a tua mocidade, pois nunca deste ouvidos à minha voz. Jer.22:21
Apega-te, pois, a ele, e tem paz, e assim te sobrevirá o bem. Jó.22:21
Para que faça herdar bens permanentes aos que me amam, e eu encha os seus tesouros 
Provérbios 8:21

07)SAÚDE
As palavras suaves são favos de mel, doces para a alma, e saúde para os ossos.Prov.16:24
E Jesus lhe disse: Eu irei, e lhe darei saúde. Mt.8:7
Porque te restaurarei a saúde, e te curarei as tuas chagas, diz o SENHOR; porquanto te chamaram a repudiada, dizendo: É Sião, já ninguém pergunta por ela.Jer.30:17
Senhor, por estas coisas se vive, e em todas elas está a vida do meu espírito, portanto cura-me e faze-me viver..Isaias 38:16
O que prega a maldade cai no mal, mas o embaixador fiel é saúde.PROV.13:17
E pela fé no seu nome fez o seu nome fortalecer a este que vedes e conheceis; sim, a fé que vem por ele, deu a este, na presença de todos vós, esta perfeita saúde.Atos.3:16

08)LIVRAMENTO
Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus. 
Atos 12:5
As palavras dos ímpios são ciladas para derramar sangue, mas a boca dos retos os livrará.Prov.12:6
Moisés, porém, disse ao povo: Não temais; estai quietos, e vede o livramento do SENHOR, que hoje vos fará; porque aos egípcios, que hoje vistes, nunca mais os tornareis a ver.Exd.14:13
O nosso Deus é o Deus da salvação; e a DEUS, o Senhor, pertencem os livramentos da morte. Salmos.68:20

09)CHAMA A EXISTENCIA
(Como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí) perante aquele no qual creu, a saber, Deus, o qual vivifica os mortos, e chama as coisas que não são como se já fossem. Rom.4:17
Quem operou e fez isto, chamando as gerações desde o princípio? Eu o SENHOR, o primeiro, e com os últimos eu mesmo.Isaias.41:4
Porque para Deus nada é impossível. Luc.1:37
Mas ele respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.Lc.18:27
E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível.Mat.19:26
Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.Heb.11:6
Para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta;Heb.6:18

10)ORAÇÃO ALIMENTO DA ALMA
Eu sou o pão da vida. Jo.6:48
Oraram, e ele fez vir codornizes, e os fartou de pão do céu..Salmos.105:40
Disseram-lhe, pois: Senhor, dá-nos sempre desse pão.Jo.6:34
Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo.Jo.6:33
Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo.Jo.6:51
Abençoarei abundantemente o seu mantimento; fartarei de pão os seus necessitados.Salmos.132:15
E Jesus lhe respondeu, dizendo: Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus. Lc.4:4

Podemos ficar o dia inteiro escrevendo outros motivos para orar em 1Jo.diz.”Aquele que diz que esta nele também deve andar como ele andou.” Jesus sempre nos deu exemplo de oração principalmente nos momentos mais duros da sua vida.
Jesus no Getsêmani. E, posto em agonia, orava mais intensamente. E o seu suor tornou-se em grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão. 
Lucas 22:44
Não deixe que a tristeza, o mundo, a carne.... tire a sua comunhão com Deus.
Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor. Rom.8:39
Orai sem cessar. 1Tess.5:17

domingo, 27 de novembro de 2011

NUNCA PARE DE ORAR!!!!


Qual sua posição na Adoração?
         

        No altar? Em santidade!

Ajoelhado próximo ao altar? Em santidade!
Em pé na igreja? Solte a cadeira e adore!
Sentado? Levante-se e adore ao Senhor!
Indiferente? O joio não adora a Deus!
Você acha que não está representado no desenho? Olhe bem, você pode estar do lado de fora!!

 ORAÇÃO E AVIVAMENTO ESPIRITUAL

BLOG Artigo  Missões e Adoração - JAMES A. STEWART

A maior necessidade atual é que haja oração específica, perseverante, e agonizante, para que Deus fenda os céus e visite o povo comprado com seu sangue. O doutor R. A. Torrey afirmou certa vez: "Sem dúvida, um dos grandes segredos que explica a insatisfação, a superficialidade, e a falta de realidade que sentimos na maioria daquilo que atualmente chamamos de ‘avivamentos’, é que há uma dependência muito maior na engenhosidade do homem do que no poder de Deus, recebido através de oração fervorosa, persistente e confiante."

Vivemos numa época caracterizada pela multiplicação da engenhosidade humana e pela diminuição do poder de Deus. O grande lema dos nossos dias é "Trabalho, trabalho, trabalho! Novas organizações, novas metodologias, novas técnicas." Mas a grande necessidade atual é de oração. Foi com um grande golpe de mestre que o diabo conseguiu em grande parte levar a igreja a deixar de lado esta poderosa arma da oração. O diabo não se opõe absolutamente a que a igreja multiplique sua organização, e sua máquina habilmente desenvolvida para conquistar o mundo para Jesus, desde que abandone a oração.

Sempre que houver um avivamento em qualquer lugar, se alguém fizer uma pesquisa entre os membros da igreja ou igrejas envolvidas, descobrirá com certeza que um Jacó anônimo esteve lutando em oração para alcançar a bênção; ou algum Elias, sozinho talvez, com sua cabeça curvada entre seus joelhos, esteve orando por um dilúvio espiritual, e observando atentamente para ver o primeiro sinal de formação de nuvens. O Senhor clamou através de Ezequiel na sua geração: "Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim, a favor desta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei" (Ezequiel 22:30). E nos nossos dias o clamor é o mesmo; há uma grande necessidade de mais intercessores em íntima união com o Senhor ressurreto, que vão agonizar dentro do véu em favor da libertação da Igreja da sua decadência atual.


Em Atos 12.5, lemos que "havia oração incessante a Deus por parte da igreja" a favor de Pedro na prisão. A palavra traduzida "incessante" significa literalmente "de forma esticada", com o sentido de grande esforço ou intensidade, mostrando como a igreja estava se esticando com desejo ardente para alcançar a Deus, em favor da libertação de Pedro. Temos aqui um quadro das dores de parto espirituais que os santos sentiam em favor de um irmão.

Este é o tipo de oração que prevalece com Deus, e que produz respostas que surpreendem até a quem orou! Grande parte das nossas orações modernas não tem poder porque não se põe o coração nelas. Faltam intensidade e fervor.
ORAI SEM CESSAR NÃO IMPORTA QUAL É O TAMANHO DO SEU PROBLEMA
 DEUS É MAIOR.  NUNCA PARE!!!!!!!!!!!!!!!  ore, ore, ore, ore............

ENTRE NESTA CAMPANHA SÃO 11 PROPÓSITOS DE ORAÇÃO

1)Novo Templo da Ass. de Deus em Cidade Nova
2)Pr. Presidente e familia

3)Diretoria do Semiadecin
4)Despertamento e Avivamento para obra Missionária
5)Crescimento das Ofertas
6)Todos os Missionários que se encontram no Campo
7)Igreja Perseguida
8)Escola Biblica Dominical - despertamento
9)Chamada Missionaria
10)Pelas Nações e Brasil
11)Ore por você..........................


sábado, 26 de novembro de 2011

SEMENTES DE MOSTARDA CRISTÃOS SUDANESES


Conflitos armados ainda são frequentes no país, e milícias recrutam jovens e até crianças.


artigo postado sit. cristianismohoje.com.br 
Matérias / Internacional(parte da postagem)

Sementes de mostarda

Em meio a divisões étnicas e religiosas, cristãos sudaneses lutam para pacificar um país traumatizado pela guerra.
Por Isaac Phiri
Gangura, uma aldeia próxima da cidade de Yambio, a apenas seis quilômetros da fronteira do Sudão com o Congo, é um território dominado pelo Exército de Resistência do Senhor (LRA, na sigla em inglês). O grupo é uma pequena e brutal milícia de resistência que luta para derrubar o governo local. O sul do país é um território sem lei. Saques, depredações, seqüestros, estupros e massacres são rotina ali.  Valas comuns abrigam os restos mortais das vítimas, próximas às aldeias encravadas na vegetação espessa. A violência é generalizada, e grupos rebeldes e milícias tribais são, em grande parte, os culpados.  
O Sudão, maior nação da África em extensão territorial, está conflagrado há muito tempo. Vinte um anos de guerra civil deixaram dois milhões de mortos, quatro milhões de desalojados e um país dividido étnica, cultural e religiosamente. O norte, de maioria árabe e muçulmana, é bem diferente do sul, cuja população é negra e fracionada em diferentes povos, muitos deles cristãos. Um acordo de paz firmado em 2005 deu uma trégua no conflito, mas apenas oficialmente, já que as disputas locais não acabaram. “O acordo pôs fim a uma guerra devastadora. Esta é a boa notícia”, celebra Richard Williamson, enviado especial do governo americano ao Sudão, para em seguida observar: “A má notícia é que temos hoje uma paz imperfeita”.
Contudo, uma pequena semente de paz, do tamanho de um grão de mostarda – para usar a célebre citação bíblica – está germinando em solo sudanês. A Igreja tem promovido a pacificação a seu próprio modo, mantendo a sua missão com o povo da terra. Nos últimos meses, Christianity Today viajou centenas de milhas através do sul do Sudão, visitando Juba, Yambio e algumas aldeias distantes. Não foi difícil encontrar lideres cristãos apaixonados que abrem mão de sua segurança pessoal para construir o Reino de Deus e trabalhar por um Sudão mais unificado.
Um deles é o alto e magro James Lual Atak. Anos atrás, como um refugiado e soldado-mirim, Atak foi um dos 27 mil chamados Meninos Perdidos, separados de seus pais durante os anos de guerra para lutar por motivos que eles mesmos eram incapazes de compreender. Hoje, ele é um pastor, fundador do New Lives Ministries (Ministério Vidas Novas)na distante aldeia de Nyamlell, Estado de Bahr el-Ghazal. Atak levanta as mãos acima de sua cabeça para proteger seus olhos do sol ardente enquanto observa o carregamento de 1,6 tonelada de material médico. Os suprimentos foram trazidos de Nairóbi, capital do vizinho Quênia, e serão levados pelo restante do caminho em um outro avião para o vilarejo de Atak. Os suprimentos serão estocados nas prateleiras da clínica médica construída recentemente pela entidade cristã que dirige. O complexo já inclui uma escola, um templo e vários dormitórios.
Debaixo das árvores – Quando Atak fundou oVidas Novas, em maio de 2002, ele estava sozinho para cuidar e educar 153 crianças. Não havia construção alguma naquele tempo, só árvores. A cada dia, o pastor tinha que dividir as crianças em três grupos e colocar cada um embaixo de uma árvore diferente. Ele pegava um grupo e começava a ensiná-los a contar números; então, corria para a sombra de outra árvore, na tarde de sol quente, para ensinar as crianças a recitar o alfabeto até que elas aprendessem – e, em seguida, ia para a terceira árvore e ensinava canções com conteúdo bíblico à garotada.
Depois de aterrissar com os suprimentos médicos em Nyamlell, James Atak orgulhosamente apresenta seus dois novos dormitórios. Numa paisagem de tons marrons e beges, terra, árvores e barracas, brilham as paredes brancas do dormitório, onde o telhado ondulado surge como um farol. O vilarejo inteiro parece girar em torno do complexo do Vidas NovasAs crianças do orfanato, agora aproximadamente 400, correm ao encontro do religioso logo que o vêem.
O destino de Nyamlell poderia ter sido diferente se Atak tivesse aceitado o bilhete dourado para refugiados se estabelecerem nos Estados Unidos. Ele e aproximadamente outros 3.800 jovens sudaneses que haviam sobrevivido à guerra receberam a oferta de um bilhete só de ida num avião com destino à América. Depois de muita oração, ele rejeitou o convite; estava decidido a fazer alguma coisa por sua gente. Mais tarde, graduou-se numa faculdade bíblica no Quênia e voltou e para a sua aldeia. Por um grande milagre, descobriu que seus pais ainda estavam vivos.
Usando um terreno doado, Atak deu início ao seu ministério pregando debaixo de uma árvore. Aos poucos, foi ganhando a confiança de muitos órfãos, aos quais ofereceu um lar. Ele admite haver questionado sua decisão de permanecer na África por duas vezes. “Mas nós podemos ser felizes onde estamos, longe ou perto, contanto que tenhamos a Cristo”, diz, resoluto. Em pouco tempo, os habitantes locais preencheram todos os postos de trabalho do Vidas NovasAtak tornou o ministério indígena a prioridade máxima para mostrar aos jovens órfãos novas maneiras de dar moradia, alimentação e educação uns aos outros na aldeia.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

TOMAMOS CAXIRI POR DIVERSÃO



A Busca pela Alegria no Noroeste da Amazônia
POSTAGEM REVISTA POVOS

Por Cácio Silva

....................................................................................................................................................................................................................
Terça-feira, Setembro 6, 2011


Entre os meses de agosto e outubro de 2005, mais de 15 jovens indígenas, na maioria entre

16 e 18 anos, cometeram suicídio na pequena cidade de São Gabriel da Cachoeira, no noroeste da Amazônia. No mesmo período de 2006, novamente mais de 15 jovens seguiram o mesmo caminho, com as mesmas características. Conversei com parentes e amigos de alguns suicidas e algo me chamou a atenção: ninguém falou de desespero ou grandes pressões que aqueles jovens estivessem vivendo antes de cometerem o ato, mas todos me disseram que estavam tristes,

por diferentes razões.
Entre os indígenas evangélicos da região, quando alguém está triste, não participa da ceia ou às vezes sequer vai aos cultos. Quando os líderes estão tristes, geralmente pedem a outra pessoa para ministrar a Palavra, pois se sentem indignos. E em toda a região, quando chega a doença no lar, toda a família mergulha em profunda melancolia. Um dia desses, o chefe da aldeia Yuhupdeh onde trabalhamos nos procurou cabisbaixo pedindo ajuda, pois seu velho pai, o pajé da aldeia, estava muito doente. Fomos às pressas até a sua palhoça e encontramos um ambiente de desolação emocional. O velho, em sua rede, estava prostrado e abatido. Mas quando verificamos do que se tratava, não passava de um simples distúrbio intestinal que logo desapareceu.
É o perfil melancólico dos povos indígenas do noroeste amazônico. Os problemas da vida

causam-lhes um profundo sentimento de tristeza, e esse sentimento parece ser o elemento mais perturbador dessas culturas, do ponto de vista socioemocional. Os yuhupdeh não têm medo da morte, pois, afinal, todos irão morrer mesmo um dia. E também não possuem conceito de castigo no pós-morte. Mas todos são unânimes em afirmar que têm medo do sofrimento. Assim, o sofrimento e a tristeza estão no cerne das culturas indígenas daqui. Por isso, em contrapartida, essas sociedades buscam ansiosamente por alegria.
Como todos os demais grupos não alcançados da região, os yuhupdeh são grandes consumidores do caxiri. Trata-se de uma bebida regional à base de mandioca. As mulheres arrancam as raízes da mandioca e deixam por cinco dias na água. Levam para a aldeia, descascam e ralam. Espremem a massa numa espécie de prensa artesanal chamada tipiti e separam-na do caldo, chamado maniquera. Com a massa fazem beiju bem torrado e deixam a maniquera levedar por uns dois dias. Geralmente misturam frutas da mata, especialmente aquelas mais ácidas, para levedar mais rápido. Quando está bem levedado, moem o beiju, misturam com a maniquera e deixam levedar mais ainda, por mais um dia. Por fim está pronto o caxiri.
O cheiro de azedo pode ser sentido de longe. A aparência não é das melhores também. Mas eles ingerem essa bebida do amanhecer até acabar. Às vezes entram a noite bebendo, sem parar. Muitos têm distúrbio intestinal e passam mal. Outros ficam violentos e causam confusão. Quando ali chegamos, sempre perguntávamos o porquê de tanta bebedeira, e eles respondiam que era apenas para se divertir um pouco. A princípio ignorávamos tal resposta por achá-la simples demais, mas hoje percebemos que ela está próxima da verdade. No fundo, é a busca pela alegria. É uma forma de driblar a tristeza, a melancolia. Prova disso é que costumam ingerir caxiri também quando a alimentação está escassa, quando falta caça e pesca.
A bem da verdade, esses povos buscam por redenção. Uma redenção que lhes liberte da tristeza da vida e proporcione uma alegria que está além dos sofrimentos. Buscam no caxiri porque ainda não conhecem Aquele que é a única e verdadeira alegria.

Revista Povos

Mc.1615"Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura"

Povos indigenas precisam da graça do Pai.  Orem pela nação indígena.

sábado, 19 de novembro de 2011

ONDE AS CRIANÇAS DORMEM


ESTA É UMA MENSAGEM DE REFLEXÃO

"James Mollison viajou ao redor do mundo e decidiu criar uma série de fotografias mostrando os quartos infantis que foram enfim compiladas em um livro, intitulado Onde as crianças dormem. Cada par de fotografias é acompanhada por uma legenda estendida que conta a história da criança. As diferenças entre cada espaço do sono é impressionante. Mollison nasceu no Quênia em 1973 e cresceu na Inglaterra. Depois de estudar arte e design na Universidade de Oxford Brookes, e cinema e fotografia em Newport School of Art and Design, ele se mudou para a Itália para trabalhar no laboratório criativo da fábrica da Benetton. O projeto tornou-se uma referência de pensamento crítico sobre a pobreza e a riqueza, sobre a relação das crianças com as suas posses, ou a falta delas. O fotógrafo espera que seu trabalho ajude outras crianças a pensar sobre a desigualdade no mundo, para que, talvez, no futuro eles pensem como agir para diminuir esta diferença.
Lamine, 12 anos, vive no Senegal. As camas são básicas, apoiadas por alguns tijolos. Aos seis anos, todas as manhãs, os meninos começam a trabalhar na fazenda-escola onde aprendem a escavação, a colheita do milho e lavrar os campos com burros. Na parte da tarde, eles estudam o Alcorão. Em seu tempo livre, Lamine gosta de jogar futebol com seus amigos.
Tzvika, nove anos, vive em um bloco de apartamentos em Beitar Illit, um assentamento israelense na Cisjordânia. É um condomínio fechado de 36.000 Haredi. Televisões e jornais são proibidos no assentamento. A família tem em média  nove filhos, mas Tzvika tem apenas uma irmã e dois irmãos, com quem divide seu quarto. Ele é levado de carro para a escola onde o esporte é banido do currículo. Tzvika vai à biblioteca todos os dias e gosta de ler as escrituras sagradas. Ele também gosta de brincar com jogos religiosos em seu computador. Ele quer se tornar um rabino, e sua comida favorita é bife e batatas fritas.
Jamie, nove anos, vive com seus pais e irmão gêmeo e sua irmã em um apartamento na quinta Avenida em Nova Iorque. Jamie freqüenta uma escola de prestígio e é um bom aluno. Em seu tempo livre, ele faz aulas de judô e natação. Quando crescer, quer se tornar um advogado como seu pai.
Indira, sete anos, vive com seus pais, irmão e irmã, perto de Kathmandu, no Nepal. Sua casa tem apenas um quarto, com uma cama e um colchão. Na hora de dormir, as crianças compartilham o colchão no chão. Indira trabalha na pedreira de granito local desde os três anos. A família é muito pobre, todos têm que trabalhar. Há 150 crianças que trabalham na pedreira. Indira trabalha seis horas por dia além de ajudar a mãe nos afazeres domésticos. Ela também freqüenta a escola, a 30 minutos a pé. Sua comida preferida é macarrão. Ela gostaria de ser bailarina quando crescer.
Kaya, quatro anos, mora com os pais em um pequeno apartamento em Tóquio, Japão. Seu quarto é forrado do chão ao teto com roupas e bonecas. A mãe de Kaya faz todos os seus vestidos e gostos - Kaya tem 30 vestidos e casacos, 30 pares de sapatos, muitas perucas e brinquedos. Quando vai à escola fica chateada por ter que usar uniforme escolar. Suas comidas favoritas são a carne, batata, morango e pêssego. Ela quer ser cartunista quando crescer.
 Douha, 10, mora com os pais e 11 irmãos em um campo de refugiados palestinos em Hebron, na Cisjordânia. Ela divide um quarto com outras cinco irmãs. Douha freqüenta uma escola, a 10 minutos a pé, e quer ser pediatra. Seu irmão, Mohammed, matou 23 civis em um ataque suicida contra os israelenses em 1996. Posteriormente, os militares israelenses destruíram a casa da família. Douha tem um cartaz de Maomé em sua parede.
Jasmine (Jazzy), quatro anos, vive em uma grande casa no Kentucky, EUA, com seus pais e três irmãos. Sua casa é na zona rural, rodeada por campos agrícolas. Seu quarto é cheio de coroas e faixas que ela ganhou em concursos de beleza. A garota já participou de mais de 100 competições. Seu tempo livre é todo ocupado com os ensaios. Jazzy gostaria de ser uma estrela do rock quando crescer.
A casa para este garoto e sua família é um colchão em um campo nos arredores de Roma, Itália. A família veio da Romênia de ônibus, depois de pedir dinheiro para pagar as passagens. Quando chegaram em Roma, acamparam em terras particulares, mas foram expulsos pela polícia. Eles não têm documentos de identidade, de forma que não conseguem um trabalho legal. Os pais do garoto limpam pára-brisas de carros nos semáforos. Ninguém de sua família foi um dia para a escola.
Dong, nove anos, vive na província de Yunnan, no sudoeste da China, com seus pais, irmã e avó. Ele divide um quarto com a irmã e os pais. A família tem uma propriedade que permite cultivar quantidade suficiente de seu próprio arroz e cana de açúcar. A escola de Dong fica a 20 minutos a pé. Ele gosta de escrever e cantar. Na maioria das noites, ele passa uma hora fazendo o seu dever de casa e uma hora assistindo televisão. Dong gostaria de ser policial.
Roathy, oito anos, vive nos arredores de Phnom Penh, Camboja. Sua casa fica em um depósito de lixo enorme. O colchão de Roathy é feito de pneus velhos. Cinco mil pessoas vivem e trabalham ali. Desde os seis anos, todas as manhãs, Roathy e centenas de outras crianças recebem um banho em um centro de caridade local, antes de começar a trabalhar, lutando por latas e garrafas de plástico, que são vendidos para uma empresa de reciclagem. Um pequeno lanche é muitas vezes a única refeição do dia.
Thais, 11, mora com os pais e a irmã no terceiro andar de um bloco de apartamentos no Rio de Janeiro, Brasil. Ela divide um quarto com a irmã. Vivem nas vizinhanças da Cidade de Deus, que costumava ser conhecida por sua rivalidade de gangues e uso de drogas. Thais é fã de Felipe Dylon, um cantor pop, e tem pôsteres dele em sua parede. Ela gostaria de ser modelo.
Nantio, 15, é membro da tribo Rendille no norte do Quênia. Ela tem dois irmãos e duas irmãs. Sua casa é uma pequena barraca feita de plástico. Há um fogo no centro, em torno do qual a família dorme. As tarefas de Nantio incluem cuidar de caprinos, cortar lenha e carregar água. Ela foi até a escola da aldeia por alguns anos, mas decidiu não continuar. Nantio está esperando o seu moran (guerreiro) para casar. Ela só tem um namorado no momento, mas não é incomum para uma mulher Rendille ter vários namorados antes do casamento.
Joey, 11, mora em Kentucky, EUA, com seus pais e irmã mais velha. Ele acompanha regularmente o seu pai em caçadas. Ele é dono de duas espingardas e uma besta, e fez sua primeira vítima -um cervo- quando tinha sete anos. Ele está esperando para usar sua besta durante a temporada de caça seguinte. Ele ama a vida ao ar livre e espera poder continuar a caçar na idade adulta. Sua família sempre come carne de caça. Joey não concorda que um animal deve ser morto só por esporte. Quando não está caçando, Joey frequenta a escola e gosta de ver televisão com o seu lagarto de estimação, Lily.

domingo, 13 de novembro de 2011

PERSEGUIÇÃO DISCRETA


Perseguição discreta

“E também todos os que piamente querem viver em Cristo 
Jesus padecerão perseguições.”(II Timóteo 3: 12) 
 
                 
                        Quando olhamos o passado e vemos nossos pais da fé, que sofreram penas e mortes cruéis por decorrência do seu testemunho no Senhor, lemos que eles são “Homens dos quais o mundo não era digno” (Hb 11:38), e somos informados que ainda existem hoje, nossos irmãos,  que ainda sofrem as mesmas perseguições e padecem nas mãos de homens impiedosos que julgam conhecer a divindade mas que jamais conheceram o Deus de Amor (1jo 4:8).  
           Quando olhamos os antepassados, nos sentimos pequenos, e quando olhamos o presente não conseguimos imaginar a dor de não poder louvar ao Senhor sem sentir o medo das cadeias e a sombra da morte, somos impelidos a orar.
            Entretanto amados, vejo que com toda a liberdade que existe no Brasil, de se levar a palavra e poder gritar na praça pública “Sou de Jesus”, é triste este tempo em que estamos a viver. Este tempo de bonança aparente é muito mais perigoso do que nós os cristãos missionários estamos vivendo na chamada janela 10X40 ou no topo dos países perseguidores. Talvez alguém não entenda, pois tudo está tão tranqüilo e mesmo assim as igrejas têm crescido.
                 Como seres espirituais, somos chamados a ver o invisível, não a olhar somente o exterior, as lindas catedrais e as belas predicações dominicais. Estamos sobre um grande risco, nos países perseguidores do evangelho nosso inimigo aparece de forma clara, abertamente contra a Palavra Salvífica anunciada, enquanto ainda é dia(Sl 91:5-6), sem trevas ele ruge como um leão feroz contra nós (1Pe 5:8), e seu desejo diabólico é de nos matar literalmente(Jo10:10), aniquilar nosso corpo natural. É simples identificá-lo, evitá-lo e por vezes até esconder-se.
                   Em nossas igrejas, ele vem como um belo anjo de luz ( 2 Co 11:14-15), ministrando a justiça , ganha nossos púlpitos e nos ensina coisas interessantemente racionais (2Pe 2:1) encobertamente errôneas, e como são “maravilhosas” suas palavras, bondoso, olhar humilde, trajes decentes, e  o temos como um mensageiro celeste. Somos tão atraídos por suas palavras como na mitologia brasileira onde o canto da sereia atrai os navegantes e os mesmo morem no mar de seus desejos, sempre é assim, quando menos se espera , recebemos um golpe, e sentimos as garras de lobos despedaçando ovelhas inocentes. Lobos disfarçados de ovelhas que roubam a preciosa fé pura, e coloca racionalidade mundana, conformismo, triunfalismo, e uma teologia egocêntrica (ITm 4:1), guloseimas saborosas como sorvetes ou chocolates, coisas que desejamos, contudo bem sabemos que não nos alimenta, como bem relatou o autor de Hebreus no cap.13 vers.9.
                Deleites dos mais variados, podem escolher em seus cardápios a cada domingo, seguem o rei dos prazeres terreno e vêem o mundo como um lugar lindo, e não notam que estão entregues  à concupiscência da carne, à concupiscência dos olhos e à soberba da vida e não estão no Pai (I Jo 2:16), contudo servem ao deus deste século (2Co4:4). Como estão cegos!  Enganados! Bem sabemos que Satanás é o mestre do disfarce e da mentira (Ap 20:8,Jo8:44) e assim dificilmente veremos a diferença entre os filhos de Deus e os filhos da perdição (Ml 3:18).  Vemos como se fossem como árvores frondosas, que estão plantadas no paraíso, porém seus frutos trazem morte espiritual e separação do Deus Altíssimo (Gn 2:17) .
                Não nos deixemos enganar, pois nosso inimigo nestes últimos dias, se apresenta como um grande príncipe, um rei e seus súditos o adoram  com tal e não sabem que estão pobres, aleijados e espiritualmente nus (Ap 3:17).
                Vigiemos, jejuemos, oremos e por vezes imploremos a ajuda de Deus (Sl 17:8), sejamos humildes e atentos ( Mt 10:16), pois é na aparente paz que nosso inimigo ciranda, perseguindo-nos sorrateiramente , aprisionando e matando espiritualmente, Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nEle, arraigados e edificados nEle, e confirmados na fé, assim como fostes ensinados pelo próprio Espírito Santo (Cl 2:6-7, Fl 3:16), seguindo as orientações dos apóstolos, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé, orando no Espírito Santo, Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna. E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento, servindo àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a Sua glória. Ao único Deus sábio, Salvador nosso, seja glória e majestade, domínio e poder, agora, e para todo o sempre. Amém. (Jd 1:20,21,22e25).

Por: Marvyo Darley
 
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...