quarta-feira, 11 de abril de 2012

VIAGEM MISSIONARIA INTERNACIONAL DESTINO - LIMA/PERU


Dia 12 de abril  Miss. Liane Cruz Secretária do SEMIADECIN da Assembleia de Deus em Cidade Nova Pr. Presidente Manoel Ribeiro. 

Estarei fazendo a minha primeira viagem internacional missionaria.


Conheça um pouco esta terra chamada PERU.


Fronteiras
Peru é o terceiro  maior país da América do Sul com uma área  de 1.285.216 km2. Limita com o Equador e a Colômbia ao norte,  o Brasil e à Bolívia ao leste, o Chile ao sul e é banhado no oeste  pelo Oceano Pacífico. 
População
De acordo com estatísticas recentes (1999),o Peru tem uma população estimada de 25,232 milhões de habitantes e uma taxa média de crescimento de 1,71% ao ano. 
O 50,4% da população são mulheres, o 71,9% da população vive nas áreas urbanas e a densidade da populacional é de 20 hab/km quadrado.
Geografia
O país está dividido em três regiões topográficas e climáticas distintas:
A Costa, uma área litoral estreita; 
a Serrauma zona central montanhosa "Cordillera de los Andes" e; 
a Selvaa bacia superior da Amazônia.
A Costa é o centro da atividade industrial, comercial e agrícola do país.  Lima, a capital política é o centro econômico do Peru. Tem mais de sete milhões de habitantes. O clima litoral é quente no  norte e temperado no centro, e o sul é caracterizado por a falta de chuvas. 
O verão vai de dezembro a março e a inverno de maio a agosto. 
A Serra abrange as montanhas dos Andes, platôs e vales elevados  que cobrem 27% da área. Dependendo da altura, o clima varia do temperado a muito frio, com chuvas que excedem 100 polegadas anualmente em algumas áreas. Nesta região há cidades construídas  a mais de 3.800 metros acima do nível do mar; Puno, no lago Titicaca está acima dos 3.850 metros acíma do nível do mar; e Cerro de Pasco 4.302 metros acima do nível do mar.
A Selva é a região mais extensa e menos povoada do Peru. É a Floresta Amazónica que cobre uma área equivalente a 60% do território nacional. O clima é tropical, isto é, quente, úmido e chuvoso. A Selva, onde a flora e a fauna são consideradas as mais ricas do mundo, é cruzada pelo rio Amazonas, o rio o mais caudaloso do mundo, que nace da união dos ríos Marañón e Ucayali perto da cidade de Nauta no Departamento (Estado) de Loreto.

RELIGIÃO DO PERU

A maior parte da população é Católica, mas a constituição do país permite qualquer religião. Os índios freqüentemente misturam o Catolicismo com suas crenças tradicionais.
As influências são muitas. Há, por exemplo, as Linhas de Nazca (gigantescas figuras gravadas na superfície do deserto peruano, representando peixes, aranhas, figuras geométricas e outras figuras não identificadas que só podem ser vistas de cima). Há resquícios do antigo Império Inca na cidade de Cusco e a misteriosa cidade perdida de Machu Picchu. Há ainda a influência da Pacha Mama, Mãe Terra, que é considerada, até hoje, uma importante fonte de energia com poder de cura (índios católicos a identificam com a Virgem Maria).

Conta a lenda que quando os incas chegaram pela primeira vez a Cusco, os pulmões cheios de ar de um lhama foram erguidos acima da cidade como símbolo da deusa. Depois disto, os lhamas passaram a ser sacrificados à Pacha Mama. Uma outra forma de agradar à deusa é oferecer folhas de coca para garantir que os campos produzam boas safras e para trazer sorte aos que constroem suas casas pela primeira vez.

A bruxaria é muito popular e está espalhada por toda parte do país. É muito comum encontrar pessoas que combinam estas duas religiões. Há mercados especiais que vendem poções mágicas e ervas. Os curandeiros ou bruxos, como são chamados, usam os poderes de cura de Pacha Mama para curar seus pacientes. Eles curam também doenças mais complexas como mal de amor, problemas de falta de sorte e males da alma. Ervas especiais e poções são combinadas com rituais em lagos que, acreditam, têm poderes curativos.
Pessoas das mais diversas classes sociais e do mundo todo vêm se tratar com os curandeiros.

Os peruanos se consideram “Filhos do Sol”, uma mitologia herdada pelos seus descendentes incas. Para os Incas, Inti, o Deus Sol, enviou para a terra seu filho Manco Cápac, que se tornou um rei e passou a ensinar a arte da civilização às pessoas. Todos os reis incas posteriores se diziam descendentes de Manco Cápac e eram também adorados como parte da família do próprio sol.

MISS. LIANE RUMO AO PERU

ESTAREI HOSPEDADA NO LAR DOS NOSSOS MISSIONÁRIOS Pr. VALDECI QUEVEDO E FAMILIA

CONTAMOS COM AS ORAÇÕES DE TODOS
 "A minha boca relatará as bençãos da tua justiça e da tua salvação todo dia, posto que não conheça o seu numero."
 " Sairei na força do SENHOR Deus, farei menção da tua justiça, e só dela."  Sl.71:15,16

OBRIGADO SENHOR!!!!


Vamos estar orando por esta cidade Chosica Lima Peru que sofre com fortes chuvas ABR/2012.





quarta-feira, 4 de abril de 2012

PÁSCOA CORDEIRO OU COELHO? VOCÊ DECIDE.


Miss. Liane Cruz

Como professora da EBD e das crianças tive dificuldade para preparar uma aula sobre a Pascoa. Quando vamos pesquisar a palavra Pascoa, vem um monte de coelho e ovo de chocolate.

 O que o coelho tem haver?  E o chocolate ?

 Para entendermos a Páscoa cristã, vamos, sinteticamente, buscar sua origem na festa judaica de mesmo nome. O ritual da Páscoa judaica é apresentado no livro do Êxodo (Ex 12.1-28). Por essa festa, a mais importante do calendário judaico, o povo celebra o fato histórico de sua libertação da escravidão do Egito acontecido há 3.275 anos, cujo protagonista principal desse evento foi Moisés no comando de seu povo pelo mar vermelho e deserto do Sinai.


O evento ÊXODO/SINAI compreende a libertação do Egito, a caminhada pelo deserto e a aliança no monte Sinai (sintetizado nos dez mandamentos dado a Moisés). De evento histórico se torna evento de fé. A passagem do mar vermelho foi lembrada como Páscoa e ficou como um marco na história do povo hebreu. Nos anos seguintes ela sempre foi comemorada com um rito todo particular.
Todo ano, na noite de lua cheia de primavera, os hebreus celebravam a Páscoa, com o sacrifício de cordeiro e o uso dos pães ázimos (sem fermentos), conforme a ordem recebida por Moisés (Ex 12.21.26-27; Dt 12.42). Era uma vigília para lembrar a saída do Egito (forma pela qual tal fato era passado de geração em geração – Ex 12.42; 13.2-8).


Essa celebração ganhou também dimensão futura com o passar do tempo. E quando novamente dominados por estrangeiros, celebravam a Páscoa lembrando o passado, mas pensando no futuro, com esperança de uma nova libertação, última e definitiva, quando toda escravidão seria vencida, e haveria o começo de um mundo novo há muito tempo prometido.
A celebração da Páscoa reunia três realidades distintas:
A uma realidade do passado: o acontecimento histórico da libertação do Egito quando Israel tornou-se o povo de Deus;

o uma realidade do presente: a memória ritual (=celebração) do fato passado levava o israelita a ter consciência de ser um ‘libertado’ de Javé (=Deus), não somente os antepassados, mas o sujeito de hoje (Dt 5.4);

A uma realidade futura: a libertação do Egito era símbolo de uma futura e definitiva libertação do povo de toda a escravidão. Libertação esta que seria a nova Páscoa, marcando o fim de uma situação de pecado e o começo de uma nova era.


Jesus oferecendo seu corpo e sangue assume o duplo sentido da páscoa judaica: sentido de libertação e de aliança. E ao celebrar a Páscoa (Mt 26,1-2.17-20), Ele institui a NOVA PÁSCOA, a Páscoa da libertação total do mal, do pecado e da morte numa aliança de amor de Deus com a humanidade.


A nova Páscoa não era uma libertação política do poder dos romanos, como os judeus esperavam. Poucos entenderam que o Reino de Deus transcende o aspecto político, histórico e geográfico.Hoje, ao celebrarmos a Páscoa, não o fazemos com sacrifício do cordeiro e alimentando-nos com pães sem fermento, pois Cristo se deu em sacrifício uma vez por todas (Jo 1.29; 1Cor 5.7; Ef 5.2; Hb 5.9), como cordeiro pascal, como prova e para nos libertar de tudo aquilo que nos oprime.


A páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. E ressurreição significa vitória!Deus livrou ao seu povo do Egito e de Faraó, dando-lhes a vitória naquela ocasião. A ressurreição de Jesus representa nossa vitória para sempre. Naquela tarde de Páscoa o cordeiro de Deus deu a vida por nós se entregando por completo e nos livrando da morte e do inferno. Ele ressuscitou e vive para sempre! A Páscoa para o Cristão é o ponto mais alto do ano litúrgico, pois a Ressurreição é o maior acontecimento da História da Igreja. Mas a Páscoa não é apenas a comemoração de um FATO PASSADO. Cada festa Pascal é um novo apelo de Deus, que nos convida a morrermos com Cristo, a nos separarmos do homem velho (do homem do pecado), a fim de nos revestirmos do homem novo e ressurgir para uma vida nova na graça e na santidade.

A Páscoa não é apenas um dia do ano, mas um processo dinâmico e permanente que deve acontecer dentro de nós. Todos os dias o cristão celebra a Páscoa, quando combate o homem velho do pecado, para se revestir do homem novo, em Cristo.

 Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas, e exercita-te a ti mesmo em piedade; 1 Timóteo 4:7

E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. 2 Timóteo 4:4

Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis.Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. 2 Pedro 1:10-11

ELE VIVE!!!  JESUS VIVE!!!!!
 



segunda-feira, 2 de abril de 2012

BULLYING RELIGIOSO DIGA NÃO!


Publicado em  por valeria

Professora evangélica prega em aula e aluno sofre bullying na escola

Rafael Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

Adolescente de 15 anos passou a ser vítima de bullying e intolerância religiosa como resultado de pregação evangélica realizada pela professora de História Roseli Tadeu Tavares de Santana. Aluno do 2º ano do Ensino Médio na Escola Estadual Antonio Caputo, no Riacho Grande, em São Bernardo, o garoto começou a ter falta de apetite, problemas na fala e tiques nervosos.
Ele passou a ser alvo de colegas de classe porque é praticante de candomblé e não queria participar das pregações da professora, que faz um ritual antes de começar cada aula: tira uma Bíblia e faz 20 minutos de pregação evangélica aos alunos. O adolescente, que no ano passado começou a ter aulas com ela, ficava constrangido. Seu  pai, o aposentado Sebastião da Silveira, 64 anos, é sacerdote de cultos afros. Neste ano, por não concordar com a pregação, decidiu não imitar os colegas. Eles perceberam e sua vida mudou.
Desde janeiro, ele sofre ataques. Primeiro, uma bola de papel lhe atingiu as costas. Depois, ofensas graves aos pais, que resolveram agir. “Ficamos abalados”, disse Silveira. “A própria escola não deu garantias de que meu  filho terá segurança.”

O garoto estuda na unidade desde a 5ª série. Poucos sabiam de sua crença. E quem descobria se afastava. Da professora, ouviu que pregação religiosa fazia parte do seu método. Roseli não quis comentar sobre o caso.
A Secretaria Estadual da Educação promete que a Diretoria de Ensino de São Bernardo irá apurar a história e reconhece que pregar religião é proibido pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

Na escola, os alunos reclamam da prática. “Não aprendi nada com ela. Só que teria de ter a mesma religião que ela”, disse um menino de 16 anos.

‘Nossas crianças não têm direito a ter uma identidade. São discriminadas’
A presidente da Afecab (Associação Federativa da Cultura e Cultos Afro-Brasileiros), Maria Campi, anunciou que dará amplo suporte à família de Magno pelo que o garoto vem sofrendo. “Nossas crianças não têm direito a ter uma identidade. São discriminadas quando usam as vestimentas. Falta estudar mais as culturas africanas”, completou.
Um registro de ocorrência foi feito no 4º DP (Riacho Grande), e a Comissão de Liberdade Religiosa da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e o Ministério Público foram acionados. “O Estado brasileiro é laico e não pode promover uma religião específica através de seus agentes. É preciso compreender a importância do respeito à escolha do próximo”, disse a presidente da comissão, Damaris Moura.
“Escola não é lugar para se fazer pregação”, definiu Carlos Brandão, doutor em Educação pela Unesp (Universidade Estadual Paulista). “O superior que está permitindo isso não está só indo contra a lei, mas sim prejudicando a moral dos alunos.”
Até mesmo pais evangélicos de alunos do local criticam a postura. “Nunca foi falado em casa que ela fazia isso. Senão eu reclamaria, é errado”, disse a doméstica Edemilda Silva, 46 anos, moradora do Capelinha. Seu filho, 13, está na 8ª série do Ensino Fundamental e confirmou a atitude da professora. “Se quiser ouvir a palavra, vou na igreja. ”
O que é o bullying - Bullying é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas. O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, que significa valentão, brigão. Mesmo sem uma denominação em português, é entendido como ameaça, tirania, opressão, intimidação, humilhação e maltrato.
E muito lamentável o ocorrido a Palavra de Deus é um fonte de como vamos nos comportar e falar  em qualquer ambiente. Oramos tanto pedindo a Deus que nos livre da perseguição, sim da perseguição. O bulling é uma perseguição que não deve de maneira nenhuma ser incentivada sob nenhum pretexto religioso.
A PALAVRA DE DEUS SEMPRE SERÁ A RESPOSTA  LEIA A PALAVRA.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...