domingo, 29 de junho de 2014

RAMADÃ: ENTRE NESTE DESAFIO.

Desafiamos você a orar pelos muçulmanos durante o Ramadã, mês sagrado do islamismo, que em 2014 (ano 1435 do calendário islâmico) começa em 28 de junho e termina em 29 de julho. Nesse período, cristãos de todo o mundo se unem em oração para ver os seguidores de Alá libertos e salvos por Cristo. Nossos missionários que atuam diretamente com povos islâmicos, principalmente na África e Oriente Médio, contam que muitos resultados de oração já foram alcançados: muçulmanos de várias partes do mundo têm se rendido ao poder do Evangelho e se transformado em testemunhas do verdadeiro Deus junto ao seu povo.

Ramadã é o nono mês do calendário islâmico. Nesse período de 30 dias, os muçulmanos se dedicam principalmente à oração, jejum e caridade. Eles consideram este um período sagrado porque creem ter sido nele que o profeta Maomé recebeu de Alá a revelação dos primeiros versos do Alcorão, o livro sagrado do islamismo.

A religião muçulmana utiliza um calendário lunar, que começou com a Hégira (ou fuga do profeta Maomé para a cidade de Medina), no século VII. Por ter 11 dias a menos que o calendário ocidental, o início do Ramadã sempre varia a cada ano.

Vamos formar uma verdadeira corrente de oração e fazer com que muçulmanos em busca da revelação de Deus sejam alcançados durante a chamada Noite do Poder, a 27ª noite do Ramadã. Missões Mundiais se utiliza de seus veículos de comunicação para mobilizar cristãos do Brasil e do mundo a orarem para que os muçulmanos se rendam à soberania do Senhor Jesus Cristo, crendo que somente Ele é o Filho de Deus e que só o Seu sangue nos purifica do pecado. A religião islâmica tem Jesus Cristo apenas como um dos seus cinco principais profetas, ao lado de Abraão, Noé, Moisés e Maomé.

O islamismo dá maior relevância aos ensinamentos de Maomé (que teria vivido entre os anos 570 e 632 d.C.), que acreditava ter vindo ao mundo completar a mensagem de Jesus e dos demais profetas. Nossa missão é promover o encontro dos muçulmanos com o Senhor Jesus, o Messias.

Veja alguns pedidos de nossos missionários que atuam diretamente com povos islâmicos. Ore por...

...novos convertidos e novas oportunidades para pregação do evangelho no Iraque;
...por percepção aos cristãos da terra, a fim de que percebam que são canais para que o Reino de Deus se estabeleça entre eles;
...abertura para atuação de missionários e voluntários entre muçulmanos;
...revelação de Deus durante esse período de jejum àqueles com os quais nossos missionários têm trabalhado;
...liberdade religiosa aos novos cristãos que ainda têm a sua decisão por Cristo oculta e durante o mês de Ramadã se veem obrigados a jejuar.

POSTAGEM. www.jmm.org.br

terça-feira, 24 de junho de 2014

MISSÕES COMO COMEÇAR?


Missão é função ou poder que se confere a alguém para realizar um projeto. É um encargo missionário para pregação da fé cristã.
Existem missões locais, onde a igreja cria um projeto que visa alcançar a comunidade através de evangelismo e obras sociais. Porém, na íntegra, isso não é missão, pois na comunidade local se faz evangelismo visando abrir ou ampliar obras. Missão tem o sentido de alcançar os não alcançados na região “da Judéia, Samaria e confins da terra”. É plantar igrejas onde não tem nenhuma igreja plantada. Foi dessa forma que o apóstolo Paulo realizou obras missionárias. Porém, quando alcançamos etnias diferentes em 
nosso território, estamos fazendo missões transculturais. Exemplo: Ao alcançamos o povo árabe no Brasil estamos fazendo missões transculturais; quando evangelizamos as nações indígenas estamos fazendo missões transculturais também. Em fim, existem missões locais, regionais, estaduais, nacionais e transculturais. Todos esses campos missionários são terrenos geográficos que ainda tem milhares e milhões de pessoas serem alcançadas pelo Evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo.

1 – COMECE EVANGELIZANDO O SEU BAIRRO
Compartilhar Jesus Cristo com outros deve ser parte do nosso estilo de vida. A Bíblia diz em Colossenses 1:26-29 “O mistério que esteve oculto dos séculos, e das gerações; mas agora foi manifesto aos seus santos, a quem Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, a esperança da glória; o qual nós anunciamos, admoestando a todo homem, e ensinando a todo homem em toda a sabedoria, para que apresentemos todo homem perfeito em Cristo; para isso também trabalho, lutando segundo a sua eficácia, que opera em mim poderosamente.” As Boas Novas devem ser pregadas em toda a parte antes de Jesus voltar. A Bíblia diz em Mateus 24:14 “E este evangelho do reino será pregado no mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.”(parte do texto www.missoesnews.com.br/artigos)

2 – ORE, JUNTO COM A IGREJA DO SENHOR PARA AMPLIAÇÃO DO CAMPO MISSIONÁRIO
A oração é uma ferramenta muito importante,
Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim. Isaías 6:8
Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. João 17:18
Então, disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros.
Rogai, pois, ao Senhor da seara, que mande ceifeiros para a sua seara.

Mateus 9:37-38

3 – MISSÕES NÃO É OBRA DO EU SOZINHO PEÇA AJUDA AO MINISTÉRIO E A IGREJA LOCAL
A Igreja e a grande parceira, ela ora, envia e sustenta. Sem o apoio da Igreja e dos membros a obra fica infrutífera. Precisamos dar frutos.
Pequei, porventura, humilhando-me a mim mesmo, para que vós fôsseis exaltados, porque de graça vos anunciei o evangelho de Deus?
Outras igrejas despojei eu para vos servir, recebendo delas salário; e quando estava presente convosco, e tinha necessidade, a ninguém fui pesado.
Porque os irmãos que vieram da macedônia supriram a minha necessidade; e em tudo me guardei de vos ser pesado, e ainda me guardarei.

2 Coríntios 11:7-9

4 – PARA ENVIAR É NECESSÁRIO O SUSTENTO FINANCEIRO
Este sustento pode ser feito de diversas maneiras:
1    Carnê Missionário
2    Oferta Missionária
3    Envelope
4  Campanha Missionária
5   Ofertas voluntárias
6    Depósitos bancários
7    Almoço, chá, Festividade, bazar, Congressos etc......

5 – A IMPORTÂNCIA DO CULTO MISSIONÁRIO
O culto missionário aviva, desperta, trás o conhecimento e a necessidade da obra. Sempre que possível convide um missionário que já esteve no campo. Convoque toda a igreja para participar. Departamento Infantil, jovens adolescentes, homens, mulheres, ancião. Todos somos um missionário.
É evidente que existe um chamado específico nem todos são vocacionados para irem ao campo. Mas a Igreja não pode deixar o missionário sozinho.
Ele, porém, lhes disse: Também é necessário que eu anuncie a outras cidades o evangelho do reino de Deus; porque para isso fui enviado. Lucas 4:43
Postagem: Miss. Liane Cruz

segunda-feira, 16 de junho de 2014

A PALAVRA DE DEUS TEM IMPORTÂNCIA PRA VOCÊ?

Você é salvo?
Esta resposta somente tem quem ouviu e creu na PALAVRA DE DEUS.
Para que se cumprisse a palavra do profeta Isaías, que diz: Senhor, quem creu na nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor? João 12:38

A Palavra de Deus é o instrumento de trabalho do servo de Deus, que ensina instrui os crentes para a maturidade da fé. A salvação é pessoal um bem precioso, só entende e vive quem creu pela Palavra de Deus. O Senhor nos deu uma ordem:

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.
Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.


Marcos 16:15-16
Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. João 3:17
Pois, que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma? Marcos 8:36
Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas. João 12:46
Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal. 1 Timóteo 1:15
Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho! 1 Coríntios 9:16

Nós pregamos o Evangelho não por obrigação, mas por amor. O púlpito é um grande instrumento utilizado no Templo para falar e pregar a PALAVRA DE DEUS.
Estamos vivendo em tempos trabalhosos, e difíceis onde a informática tem sido o centro das atenções a agilidade das informações faz com que o ser humano fique cada vez mais dispersos, sem concentração. No meio de tudo isso esta a igreja, perdendo membros para o mundo.
O que fazer? Quais as soluções? A resposta rápida é o entretenimento.
Se não tiver um evento, comida, festividade, louvorsão, grupos gospel etc. o povo não tem motivação para ir a Igreja do Senhor.

Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel:
E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, Que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; E os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, Os vossos jovens terão visões, E os vossos velhos sonharão sonhos;
E também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e as minhas servas naqueles dias, e profetizarão;
E farei aparecer prodígios em cima, no céu; E sinais em baixo na terra, Sangue, fogo e vapor de fumo.
O sol se converterá em trevas, E a lua em sangue, Antes de chegar o grande e glorioso dia do Senhor;
E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.
Homens israelitas, escutai estas palavras: A Jesus Nazareno, homem aprovado por Deus entre vós com maravilhas, prodígios e sinais, que Deus por ele fez no meio de vós, como vós mesmos bem sabeis;
Atos 2:16-22

Note que tudo aconteceu e acontece é  pela PALAVRA DE DEUS , a solução de tudo sempre estará na PALAVRA DE DEUS. NÃO PODEMOS trocar  A PALAVRA DE DEUS por qualquer tipo de evento, ainda que venha almas aceitando o Senhor Jesus como salvador.
 Mas como esta alma vai perseverar e caminhar estudar e viver o que? A comida, teatro, roupas, bens tudo perece, ou se acaba, mas a PALAVRA DE DEUS.

E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre. 1 João 2:17
Mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada. 1 Pedro 1:25

Com a Palavra não se pode negociar, trocar por maior que seja o evento. Infelizmente esta prática tem sido normal, tem: teatro, dança, comida, louvorsão, muita emoção.
 A Palavra nada, e quando tem o tempo é o mínimo para não enfadar o povo.
Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? Romanos 10:14
E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas. Romanos 10:15
DESPERTA IGREJA, VIGIA!!!!!
Precisamos voltar ao primeiro amor sentir a presença do Rei Jesus, JESUS tem que ser o prato principal o verdadeiro motivo de estarmos na Casa de Deus.

Vós tendes dito: Inútil é servir a Deus; que nos aproveita termos cuidado em guardar os seus preceitos, e em andar de luto diante do Senhor dos Exércitos? Malaquias 3:14

Sem PALAVRA É LUTO MORTE!!!!!

Mas Jesus disse:
Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte. Romanos 8:2

Voltemos a ter vida:
Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna. João 6:47
Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente. Salmos 16:11
Porque em ti está o manancial da vida; na tua luz veremos a luz. Salmos 36:9

Não troque a PALAVRA DE DEUS POR UM PRATO DE LENTINHA!

Ide e apresentai-vos no templo, e dizei ao povo todas as palavras desta vida. Atos 5:20

AMÉM, QUE O SENHOR NÓS ABENÇOE!
Postagem: Miss. Liane Cruz

segunda-feira, 9 de junho de 2014

O SUSTENTO DO MISSIONÁRIO


Por Pr. Esequias Soares
Extraído da Revista “Lições Bíblicas”Jovens e Adultos – Lições do 3o. trimestre de 2000
CPAD – Casa Publicadora das Assembléias de Deus
Existem três modos de nos envolvermos com a obra de missões: primeiro, indo ao campo missionário; segundo, orando por aqueles que estão no campo; terceiro, sustentando o obreiro financeiramente. Todo o crente precisa, desde cedo, compreender o que a Bíblia ensina sobre a mordomia. Nós somos mordomos de Deus, ou seja, administradores de seus bens. Tudo o que existe no mundo pertence a Ele: “Do Senhor é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam” (Sl 24.1). Deste modo, o corpo, a mente, o tempo, os talentos, os serviços, o dinheiro, as propriedades – tudo pertence a Deus. Quando nos dispomos a cooperar financeiramente com a sua obra, estamos simplesmente devolvendo-Lhe parte do que dEle recebemos. Deus recebe a oferta que oferecemos aos missionários, e se compromete abençoar-nos e suprir todas as nossas necessidades. As missões são sustentadas exclusivamente com as nossas contribuições. Se não contribuirmos, o Reino de Deus sofrerá.
A Bíblia nos ensina que aqueles que com sinceridade se dedicam à proclamação da Palavra de Deus devem ser sustentados pelo que, desse trabalho, recebem bênçãos espirituais: “O que é instruído na palavra reparta de todos os seus bens com aquele que o instrui” (Gl 6.6).
Exemplos:
1) “Não atarás a boca ao boi, quando trilhar” (Dt 25.4).
2) “Digno é o operário do seu alimento” (Mt 10.10).
3) “Digno é o obreiro do seu salário” (Lc 10.7).
4) “Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário” (1Tm 5.18).
INTRODUÇÃO
Os missionários e os obreiros em geral são sustentados financeiramente pela igreja. A fonte ou origem desses recursos é a própria igreja. Foi Deus quem estabeleceu que o crente contribuísse para que o seu povo tenha os recursos suficientes para a expansão do evangelho e manutenção da obra do Senhor. É sobre isso que vamos estudar hoje.
I. DÍZIMOS E OFERTAS
1. Dízimos. O dízimo é a décima parte da renda de uma pessoa. À luz de 1 Co 16.2 é a contribuição financeira mínima que o crente deve oferecer para a obra de Deus. Já existia antes da lei (Gn 14.20; 28.22); instituído por Moisés na lei (Lv 27.30; Dt 14.22). O povo devia levar para os levitas e sacerdotes, pois não tiveram possessão da terra (Nm 18.21-24; Hb 7.5), para que haja mantimento na Casa de Deus (Ml 3.10). Eles, por sua vez, pagavam deles os dízimos dos dízimos (Nm 18.26). O Senhor Jesus manteve os dízimos na Nova Aliança (Mt 23.23).
2. Ofertas alçadas. Além dos dízimos havia também as ofertas alçadas para fins específicos, como na construção do tabernáculo, no deserto (Êx 25.2). Convém lembrar que oferta alçada não é o mesmo que dízimo (Ml 3.10). Ambos são bíblicos e atuais, mas são diferentes. As ofertas alçadas são esporádicas, principalmente para construção de templos. Os dízimos são contínuos. O culto ao Deus verdadeiro, conforme encontramos em toda a Bíblia, constitui-se dos elementos: oração, leitura das Escrituras, pregação ou testemunho, cânticos e ofertas.
3. Os métodos de Deus. Para a construção do tabernáculo Moisés precisava dessas ofertas alçadas, de um povo pobre que vivia pela misericórdia de Deus, do maná. Davi, para construir o templo de Jerusalém, deu uma oferta de cento e cinco toneladas de ouro, sem contar a prata (1 Cr 29.3,4), considerando-se um talento equivalente a 35 quilos segundo as tabelas de conversões de pesos e medidas. O rei Davi, no entanto, fez um apelo para quem quisesse contribuir para a Casa de Deus (1 Cr 29.5). Nos versículos seguintes ficamos sabendo que o povo contribuiu voluntariamente e com alegria.
4. Deus quer que seus filhos participem dos projetos divinos. Moisés não dispunha de recursos para a construção do tabernáculo e por isso levantou do povo uma oferta alçada. Entretanto, o rei Davi já dispunha dos recursos para a construção do Templo de Jerusalém. Por que convidou ele o povo para ofertar? O método de Deus, porém, é diferente do nosso. A vontade de Deus é que seus filhos participem de seus projetos. Aqui já não é questão de necessidade. Deus é dono do céu e da terra (Gn 14.19; Sl 24.1), do ouro e da prata (Ag 2.8), mas Ele conta com nossa participação. Deus abençoa o povo para que seus filhos possam contribuir para a sua obra.
II. BASES BÍBLICAS PARA O SUSTENTO DO MISSIONÁRIO
1. A igreja de Corinto não era generosa. Os irmãos da igreja de Corinto eram insensíveis às necessidades do apóstolo. Outras igrejas sustentaram Paulo para que o mesmo pudesse servir aos coríntios (2 Co 11.8). Depois que o apóstolo deixou a cidade, apresentou a sua defesa. Partindo de um raciocínio lógico, “quem jamais milita à sua própria custa?” (v.7), ele busca no sistema sacerdotal, estabelecido na lei de Moisés, o argumento para fundamentar essa verdade (1 Co 9.9,10), e também nas palavras do próprio Senhor Jesus (1 Co 9.14). Essa é uma referência a Mt 10.10; Lc 10.7, como ele deixa mais claro em outro lugar (1 Tm 5.17,18).
2. Fazedores de tendas. Na cultura judaica era comum os pais ensinarem ao filho uma profissão alternativa; a de Paulo era a de fazer tendas (At 18.3). Utilizou-se dela para levantar seu sustento, pois temia escandalizar os irmãos e não queria correr o risco de ser interpretado como aventureiro, em Corinto. Hoje, “fazedores de tendas” é o nome que se dá aos profissionais liberais que são enviados como voluntários para prestarem serviços sociais às populações carentes nos países onde ser cristão ainda é crime. É um recurso usado para colocar legalmente um missionário num país desses; do contrário, ele nunca poderia ser aceito.
3. A igreja de Filipos era generosa. A igreja de Corinto não era como a dos filipenses (Fp 4.15-19). Nenhuma igreja se preocupou com as necessidades do apóstolo, exceto a igreja de Filipos. Enviava oferta na hora em que ele mais precisava. Paulo agradecia a Deus essas ofertas “como cheiro de suavidade e aprazível a Deus” (Fp 4.16,18). É dessa mesma maneira que ainda hoje Deus recebe a oferta que você oferece para o sustento missionário. Além disso você tem a garantia de que o Senhor suprirá todas as suas necessidades (4.19).
III. COMO APOIAR OS MISSIONÁRIOS
1. O papel da igreja. Sãos os crentes que apóiam os missionários com suas contribuições, através da secretaria ou departamento de missões da igreja. A igreja ora, intercedendo por eles, e acompanha o seu trabalho através de relatórios escritos e também por meio de testemunhos de outros que visitam o missionário no campo. Esses responsáveis pelo sustento e pelo apoio espiritual devem entender também que fora do seu convívio a situação é muito diferente. Se não houver essa confiança, corre o risco de o trabalho no campo ficar travado.
2. Apoio aos missionários. O sustento missionário inclui alimento, vestuário, moradia, educação e saúde dele e da esposa e filhos. É necessário um estudo sobre o padrão de vida do país para onde vai ser enviado o missionário, a fim de que a igreja possa enviar o suficiente para o sustento dele. Nem sempre as igrejas têm acesso a essas informações, por isso existem inúmeras agências missionárias interdenominacionais, espalhadas no Brasil e em todo o mundo, com o propósito de orientar as igrejas.
CONCLUSÃO
Nossos dízimos e ofertas são uma maneira de reconhecermos a soberania de Deus em nossa vida. A vontade de Deus é a salvação dos perdidos da terra (1 Tm 2.4). Para que essa meta seja alcançada, Deus conta com cada um de seus filhos, com todos os seus dons e talentos. O nosso apoio aos missionários deve ser a oração, contribuição através da igreja ou de sua secretaria ou departamento de missões, contato com eles por carta, telefone, Internet, etc.
Deixa Deus te usar!
CONTA MISSIONÁRIA DO SEMIADECIN
BANCO ITAÚ
AG. 0438    C/C: 69356-6
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...