segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

NAZARENO NEGRO. 500 mil SEGUIDORES


Ruas de Manila, capital das Filipinas
Centenas de milhares de pessoas, aproximadamente 500 mil, segundo estimativa da polícia, se juntaram nesta quarta-feira pelas ruas de Manila, capital das Filipinas, em uma procissão com a imagem de Jesus Cristo, conhecida como Nazareno Negro, em ritual que acontece todos os anos.
Os devotos, muitos deles descalços, se aglomeram em torno da imagem na esperança de poder tocá-la, para pedir ou agradecer por curas milagrosas. Muitos acreditam que a estátua tem poderes místicos.
A imagem, feita de madeira e retratando Jesus Cristo negro, foi trazida para o país por missionários espanhóis do México em 1906, segundo a agência AP, e sobreviveu a incêndios, terremotos e até bombardeios da 2ª Guerra Mundial.
LUTA PARA CHEGAR PERTO - Ariel é apenas um dos milhares e milhares de devotos e seguidores de "Nuestro Padre Jesús Nazareno" que todo dia 9 de janeiro acompanham a imagem do Cristo sofredor pelas ruas e becos de Quiapo. Trata-se de uma das procissões mais concorridas, mais espetaculares e representativas de uma fé que os seguidores do Nazareno expressam ao seu estilo.
Com camisa branca, calças arregaçadas, pés descalços e uma toalha branca amarrada à cabeça, uma multidão incontável de homens cerca o andor que leva a imagem, com a intenção de realizar o ato supremo de glória: ajudar a carregar esse andor, ainda que por uns poucos segundos.
Enquanto isso, muitas outras pessoas se aproximam o mais que podem para passar uma toalha ou lenço no rosto de Nosso Senhor. É como se quisessem ajudar a diminuir o seu sofrimento. É, também, para receber a sua bênção.
Muitos outros, ainda, tentam se agarrar a uma das duas longas cordas presas ao andor.
Receber uma bênção especial do Cristo Negro vale qualquer esforço: o calor insuportável, a dificuldade para respirar, os empurrões e as cotoveladas.
Ariel explica que se sente "muito espiritual" toda vez que vê o andor sair ou entrar na igreja. Chega a chorar. Não tenta subir no andor para tocar o rosto do Cristo, porque ficaria pesado para os carregadores. "Sempre que consegui carregar o andor por uns segundos, me senti muito forte. Nunca senti nenhum tipo de fraqueza."

DEVOÇÃO E ALVOROÇO - É engano pensar que a devoção a Nosso Senhor Nazareno só se manifesta uma vez por ano. A igreja de Quiapo está sempre abarrotada, em qualquer hora de qualquer dia do ano. Às sextas-feiras, porque tem novena. Aos domingos, porque tem missa. No resto dos dias, porque os fiéis sempre encontram um tempinho para uma visita ao Nazareno.
Mulheres caminham de joelhos do fundo da igreja até o altar. Outros fazem fila para beijar os pés do Cristo Negro, que já estão brancos de tanto beijo e de tanto lenço esfregado sobre eles.
A igreja de Quiapo é um contínuo vaivém. Gente que se ajoelha, que se senta para rezar, meditar, pedir bênçãos ao Senhor. O incessante "tráfego" que há dentro do templo é um reflexo do tumulto e alvoroço do lado de fora.
Espiritualidade e vida cotidiana se misturam ao redor da igreja, de maneira muito normal e espontânea. O povo de Manila integra gestos e manifestações religiosas à vida de todo dia: jovens carregam escapulários pendurados ao pescoço, há gente que reza o rosário nas lotações, não se deve passar perto de uma igreja sem fazer genuflexão...
Quiapo e seus arredores são um retrato fiel do modo de ser do povo de Manila. Gente por tudo quanto é lugar. Transeuntes sem rumo fixo, como que perdidos. Estudantes, donas de casa, empregadas domésticas, aposentados...
Em Quiapo e sua igreja, todos se sentem acolhidos. Dentro e fora, devoção e tumulto, numa mistura dos mundos espiritual e material.
(África G. Gómez, p. 33)
Vista panorâmica das pessoas carregando o nazareno negro

EVANGELIZAR É PRECISO

Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!1 Coríntios 9:16

DEUS COLOCOU UMA OBRA EM NOSSAS MÃOS FAÇAMOS! 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...